Inadimplência recua na capital paulista

0
2
De acordo com o último balanço quinzenal feito pela Associação Comercial de São Paulo, na capital paulista, a inadimplência continua em declínio – resultado da recuperação de crédito e do início das campanhas de renegociação de dívidas. O IRI (Indicador de Registro de Inadimplentes/carnês em atraso) da ACSP registrou recuo 4,4% nos primeiros quinze dias de setembro de 2013 em relação ao mesmo período de 2012 e queda de 0,7% em comparação com a primeira quinzena de agosto de 2013.
Já o IRC (Indicador de Recuperação de Crédito / registros cancelados/negociados) foi o grande destaque do levantamento, com fortes elevações de 8% em comparação com 2012 e de 7,9% sobre o mesmo período de agosto. 
As campanhas de renegociação de dívidas estão sendo antecipadas e iniciadas no mês de setembro, aproveitando a primeira parcela do 13º dos aposentados e os reajustes dos salários das grandes categorias – como as de metalúrgicos, bancários e químicos. Isso contribuiu para o índice apontar queda da inadimplência – e essa será a tendência nas próximas semanas. 

Movimento de vendas                                                                                                Na primeira quinzena de setembro, as vendas a prazo no comércio paulistano apresentaram queda de 4,2% sobre igual período de 2012 – mas com um dia útil a menos. Esse é o dado do IMC (Índice de Movimento do Comércio a Prazo) da ACSP. Se o número de dias fosse o mesmo, o IMC apresentaria alta real de 4,5%.
Na comparação com a primeira quinzena de agosto, o IMC registrou queda sazonal de 5,4%, em função do Dia dos Pais.
O ICH (Indicador de Movimento de Cheques), que mede as vendas à vista na cidade de São Paulo, apresentou queda de 4% em relação ao mesmo período do ano passado, com um dia útil a menos. Ajustado pela média diária houve alta de 4,7%. Na comparação com os primeiros quinze dias de agosto de 2013, a queda foi 24,7%, de caráter sazonal e também por ter dois dias úteis a menos.
Em síntese, a forte recuperação de crédito na quinzena e o início das campanhas de renegociação de dívidas sinalizam a queda da inadimplência no período. Quanto às vendas em setembro, apesar de o número total de dias úteis ser igual ao de 2012, ainda não podem ser projetadas as médias diárias – visto que o mês em questão costuma ser o segundo mais fraco do ano na capital paulista, atrás apenas de fevereiro.