Inadimplentes, por quê?

0
8
Nos últimos meses, as pequenas e médias empresas têm apresentado alta na inadimplência. Isso ocorre, principalmente, devido a desaceleração da economia brasileira e das incertezas políticas, segundo Kelly Carvalho, assessora economia da FecomercioSP. “Com juros mais altos, o custo financeiro do capital de giro junto aos bancos relativamente maior; e a inflação acima do teto da meta, o poder de compra do consumidor fica reduzido, impactando negativamente e diretamente no negócio. Assim, tais empresas, que já atuam no mercado com uma margem de lucro reduzida, acabam tendo as finanças comprometidas, levando a alta na inadimplência”, explica.
Ela acrescenta que as pequenas e médias são mais vulneráveis devido as próprias peculiaridades. “Por terem um menor poder de negociação junto aos fornecedores, os pequenos acabam por trabalhar com margens de lucro restritas. Para conseguir se manter no mercado, muitos empresários acabam recorrendo ao crédito no mercado financeiro para honrar com os seus compromissos. Neste ambiente, a redução do poder compra do consumidor com a alta da inflação, por exemplo, acaba por comprometer as finanças da empresa de imediato, pois há, consequentemente, uma redução do consumo”, afirma.
Para evitar a inadimplência, na opinião de Kelly, o negócio precisa ter um planejamento financeiro para que o empresário identifique o seu lucro real. “Ao analisar o faturamento mensal do negócio, é preciso que o empresário também identifique quais são as suas despesas básicas, tais como, funcionários, luz, água, telefone, aluguel, dentre outras, para dar visibilidade do seu fluxo de caixa. Em seguida, é importante que a empresa analise o por quê das dívidas em atraso, inclusive, fornecedores”, salienta.
Além disso, para ela, o planejamento para o pagamento das dívidas e a tentativa de negociação direta com os credores são as melhores opções. “Vale destacar também, o cuidado que o empresário deve ter na hora de optar/escolher como pagar as dívidas: nunca misturar recursos próprios (do empresário) para o pagamento das dívidas da empresa, pois isso pode se transformar numa “cascata” de endividamento”, explica.
CRÉDITO
Junto com isso, as empresas vêm enfrentando dificuldades no acesso ao crédito, de acordo com Kelly. “Em um cenário de alta da inadimplência, é evidente que a reação automática dos bancos seja o maior rigor na concessão de crédito como uma forma de garantir o que se está emprestando, aumentando juros e sendo até mais exigentes na análise de crédito”, comenta.