Mais exigência, menos riscos

0
2
O sistema de cartões contempla vários tipos de crédito, como o parcelamento com ou sem juros, por exemplo. Devido às opções disponíveis, o número de usuários dessa forma de pagamento vem crescendo e, para o futuro, a estimativa é que haja maior atenção ao processo de concessão propiciando maior equilíbrio entre risco e retorno, impactando assim, no número de pessoas endividadas. “A inadimplência deve diminuir ao longo do tempo, haja vista o aumento no nível de exigência para os novos entrantes e a diminuição da taxa de juros, além da limpeza de base de clientes com perfil de alto risco”, afirma Boanerges Ramos Freire, presidente da consultoria Boanerges & Cia. Segundo o executivo, o faturamento no setor em 2013 deve crescer 18%, devido à adaptação cultural dos usuários, que tendem a concentrar os gastos em cartões de crédito.
Para o executivo, a expansão das bandeiras com foco no público de baixa renda, é uma evolução que vai influenciar no processo de aculturação com os cartões e o maior uso do mesmo. Além disso, ele acrescenta que programas de fidelização podem ser muito importantes para o crescimento do setor. “Será necessário um aprimoramento dos modelos atuais de fidelização, que ainda são generalistas (premiam os clientes praticamente da mesma forma), comunicando melhor e tornando-os instrumentos capazes de premiar adequadamente os clientes de acordo com seu perfil de gasto”, diz Freire. Outro poderoso instrumento para o crescimento do mercado, são os cartões pré-pagos, juntamente com o mobile. “Empresas de diversos segmentos e portes estão criando projetos específicos para atender principalmente o público desbancarizado e sub-bancarizado, e algumas destas empresas já colocaram seus produtos no mercado”, conta.

Bancos X Varejo
Sem verem grande retorno financeiro, muitos bancos estão acabando com as parcerias com o varejo, uma vez que esperam que o crescimento da renda da população leve mais pessoas a adquirirem cartões de crédito diretamente com os bancos, e não mais os cartões varejistas. Porém, o presidente da Boanerges & Cia ressalta que, por outro lado, importantes varejistas que possuem grandes bases de cartões private labels, estão migrando para co-branded, permitindo que as pessoas comprem em outros estabelecimentos com o mesmo cartão. “Isso visa atender um perfil de cliente que já não se satisfaz com um simples cartão de loja”, declara o executivo, e acrescenta que mesmo com população com maior acesso direto aos bancos, ainda haverá, por um bom tempo, espaço para os cartões tradicionais.