Norte lidera dívidas em atraso

0
3
No mês de agosto, a Região Norte apresentou o maior crescimento no número de dívidas em atraso entre as cinco regiões pesquisadas pelo SPC Brasil: as pendências avançaram 7,68% em relação a agosto do ano passado. Por outro lado, seguindo a mesma base de comparação, a Região Sul registrou o menor avanço, de 5,66%, variação abaixo da média nacional em agosto, que foi de 6,13%.
De acordo com os economistas do SPC Brasil, a tendência de avanço das dívidas vem acompanhando a trajetória de aceleração observada para o Brasil como um todo. Dessa forma, três das cinco regiões analisadas (Sul, Sudeste e Centro-Oeste) apresentaram taxas de crescimento superiores àquelas registradas em julho. “Apenas o Norte e o Nordeste mostraram avanços mais brandos do que aqueles registrados em julho do ano passado”, explica Marcela Kawauti, economista chefe do SPC Brasil.
Em agosto deste ano, a região Sudeste concentrava 40,42% dessas dívidas em atraso, refletindo a concentração econômica da região. De acordo com Kawauti, ainda que o Sudeste tenha apresentado um crescimento do total de atrasos mais modesto em comparação com outras regiões, a região teve um impacto significativo de 2,71 pontos percentuais sobre a alta de 6,13% do país em agosto. “Esta é sem dúvida a região mais ativa do país, portanto é natural que também responda pela maior parte do PIB brasileiro, com aproximadamente 55,4%, segundo dados do IBGE”, explica a economista.
Em relação a agosto do ano passado, o segmento de água e luz foi o que mais contribuiu com os crescimentos de pagamentos em atraso em quatro das cinco regiões pesquisadas pelo SPC Brasil. “Esses setores vêm mostrando aumento da inadimplência já há alguns meses por conta do maior uso do serviço de negativação por essas companhias. O aumento recente das tarifas de água e luz também podem ter impulsionado este movimento.”, explica Kawauti. De acordo com os dados, a exceção foi o Norte do país, onde o setor de Comunicação foi o mais responsável pela alta regional.
Já o número de pessoas físicas inadimplentes cresceu em todas as regiões na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O aumento foi mais expressivo no Sudeste, que apresentou alta anual de 6,72%. Apenas duas regiões, Norte e Nordeste, que apresentaram variações de 4,57% e 4,23%, respectivamente, ficaram abaixo da média nacional de crescimento (5,09%). Vale destacar que essas mesmas regiões foram as únicas a mostrar desaceleração do crescimento frente ao mês de julho, tendo como referência a base anual de comparação.