O jeito é pisar no freio!

0
3
O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor caiu 3,5% em julho deste ano, na comparação com o mês anterior. É o segundo recuo mensal consecutivo e a menor variação para um mês de julho desde 2006. Na relação anual – julho deste ano contra o mesmo mês do ano passado – o indicador caiu 5,0%. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, na comparação com o mesmo período do ano anterior, o índice continua perdendo fôlego e apresentou alta de 4,0%. No primeiro semestre do ano, o indicador havia registrado crescimento de 5,6%.
De acordo com economistas da Serasa Experian, a queda da inadimplência do consumidor em julho é decorrente da procura e interesse do consumidor pela renegociação de dívidas e da atitude cautelosa de evitar a aquisição de novos bens e serviços. A redução do poder aquisitivo, por conta da inflação, foi determinante para essa mudança de comportamento.
 
As dívidas não bancárias (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) e a inadimplência com os bancos foram as responsáveis pela queda do indicador em julho de 2013, com variações negativas de 8,7% e 2,2%, respectivamente, e contribuições negativas de 3,9 p.p. e 1,0 p.p., respectivamente. Os títulos protestados e os cheques sem fundos apresentaram alta e não deixaram que o índice caísse ainda mais em julho. Veja tabela abaixo:
Cai o valor médio das dívidas não bancárias e títulos protestados
O valor médio da inadimplência não bancária e dos títulos protestados apresentou queda de 8,4% e 2,2%, respectivamente, de janeiro a julho de 2013, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já as dívidas com os bancos e os cheques sem fundos registraram alta de 4,7% e 10,3%, respectivamente. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAnálise on-line
Próximo artigoA força da web no varejo