Clique no banner e vote na fera que te representa!
Clique no banner e vote na fera que te representa!

O canal para quem respira cliente.

Prevenção contra riscos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



O montante de perdas provenientes de fraudes contra empresas no acumulado de janeiro a agosto de 2009 foi de R$ 72 milhões, aproximadamente 41,2% menor do que os R$ 122,53 milhões registrados no mesmo período do ano passado. Os setores de confecções, materiais de construção, alimentos, informática e autopeças foram os mais visados pelos fraudadores nesse primeiro trimestre de 2009, por serem de produtos de mais fácil comercialização. A maioria dos casos concentrou-se nas regiões Sudeste e Sul, seguidas pelas regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte.

 

As fraudes foram o tema do workshop realizado nesta quarta-feira, 23 de setembro, na sede da Serasa Experian, em São Paulo. O objetivo do evento foi abordar como as empresas podem se prevenir de perdas mercantis e de crédito e apresentar as mais avançadas ferramentas e estratégias para identificação de inconsistências comerciais. O workshop contou com as presenças do estatístico da Serasa Experian, Carlos Adriano Rocha, especialista em fraudes, que apresentou um raio-X da fraude mercantil e de crédito; e do gerente Executivo da Unidade de Negócios Pessoa Jurídica da empresa, Júlio Cesar Leandro, que palestrou sobre como reduzir fraudes nas operações mercantis e de crédito com empresas. A abertura e o encerramento do evento foram feitos por Laércio de Oliveira, presidente da Unidade de Negócios Pessoa Jurídica da Serasa Experian.

 

Oliveira atribui a redução do montante de prejuízos com fraudes de janeiro a março deste ano a dois fatores principais. Um deles é a queda no crescimento do crédito a Pessoa Jurídica nesse período, de 0,6%, contra 5,1% no primeiro trimestre de 2008. O outro fator, diretamente relacionado à atividade da Serasa Experian, é o aprimoramento das ferramentas para detecção cada vez mais rápida e eficaz de ações inconsistentes de empresas no mercado.

 

“Esses números revelam que as empresas têm conseguido ser mais ágeis e eficientes na identificação de inconsistências de dados e informações que representam riscos e podem resultar em perdas mercantis, tanto no momento da venda a prazo quanto na aceitação de novos clientes”, afirma Laércio de Oliveira. Como exemplo dessas inconsistências, o executivo cita a existência de mais de um endereço para a empresa ou outras empresas atreladas ao mesmo endereço, a divergência dos dados cadastrais da empresa ou dos sócios e comportamentos fora do padrão de mercado. A prevenção contra riscos e prejuízos dessa natureza, segundo Laércio de Oliveira, passa pela rigorosa validação de dados cadastrais da empresa e de seus sócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima