Sem crise por aqui

0
11
Com a tecnologia cada vez mais presente no cotidiano das pessoas e das empresas, inovar se tornou palavra de ordem geral. Entretanto, neste setor, não basta somente ter a ideia, mas também dinheiro para começar a fazer as coisas acontecerem. Pensando nisso, o Banco Nacional do Desenvolvimento, BNDES, criou o programa de incentivo à inovação tecnológica. Conforme explica Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Desenvolve SP, isso gera um aumento na competitividade, pois ela só é possível se houver investimento ininterrupto e de longo prazo em desenvolvimento tecnológico, inovação e pesquisa.
Assim, diversos bancos e instituições financeiras se filiaram ao programa e estão aptos a atender empresas que buscam inovação. E mesmo diante da crise enfrentada pelo País, esta é uma das poucas carteiras de crédito que continuou crescendo. Tanto que, de acordo com levantamento, somente no primeiro semestre de 2015, a Desenvolve SP financiou R$ 13,9 milhões em projetos inovadores de empresas de pequeno e médio porte. “É o maior valor dos últimos seis anos, além de representar um aumento de 156% em relação ao ano completo de 2014”, comenta Santos.
Entretanto, como forma de precaução e até para não elevar o baixo índice de inadimplência, algumas instituições criaram medidas para se proteger, bem como ao contratante. “Os gerentes das agências da Caixa estão disponíveis para visitar as sedes das empresas para orientar os empresários para a contratação do melhor crédito, utilização dos serviços que contribuem para facilitar o dia a dia e proporcione o crescimento da empresa”, apresenta Samuel Crespi, superintendente nacional de estratégia de Micro e Pequeno Empreendedorismo, acrescentando que o banco também oferece aulas e dicas on-line, visando tanto à tomada de crédito quanto a consciência de quem o busca.
Da mesma forma, a DesenvolveSP vai além de oferecer somente um crédito sustentável – baixas taxas de juros e longos prazos para pagamento -, buscando disponibilizar também ações com parceiros como o Sebrae-SP, Endeavor Brasil, FIESP/CIESP, Fecomércio e outros para auxiliar em um financiamento consciente. Por meio dessas medidas, a taxa de inadimplência, que já é baixa nesta carteira, fica menor ainda. “No último dado, referente a junho deste ano, a Desenvolve SP registrou uma taxa de 2.9%, para operações de crédito voltadas a pessoas jurídicas. Segundo o Banco Central, o valor médio do período foi de 3.9%”, apresenta Santos.
Qual a vantagem do crédito de inovação tecnológica? Deixe a sua opinião na enquete do Portal Crédito e Cobrança.

Leia também as matérias exclusivas do especial:
Com crédito de inovação, não só empresas de TI saem beneficiadas, mas também as concedentes
Apesar do incentivo à inovação, contratantes devem analisar o todo antes de tomar o crédito