Sem dinheiro

0
2
Quase metade (46%) dos brasileiros atrasaram ou deixaram de pagar pelo menos uma conta em 2016. É o que revela pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Apesar disso, o percentual é menor do que em 2015, quando 53% admitiram ter pago alguma conta depois do prazo. As contas mais comprometidas em 2016 foram: cartão de crédito (19%), conta de luz (17%) e internet (13%, com aumento de 4,0 pontos percentuais em relação a 2015).
Considerando as pessoas que deixaram de pagar ou atrasaram o pagamento de contas nos últimos 12 meses, 65% tiveram ou estão com o nome incluído em algum serviço de proteção ao crédito, sobretudo entre as classes C, D e E (69%). O número total teve uma queda de 3 pontos percentuais em relação a 2015, quando era de 68%. Quando se trata dos entrevistados negativados nos últimos 12 meses, somente 15% conseguiram regularizar a situação e 50% ainda estão negativados.
Ainda de acordo com o estudo, 33% das pessoas se consideram endividadas no momento. Apesar disso, o estudo revela que 77% têm uma concepção equivocada sobre o que significa estar endividado. Para 45% dos entrevistados, uma pessoa com dívidas é aquela que tem contas em atraso. Três em cada dez (31%) disseram que estar endividado é quem está com nome em entidades de proteção ao crédito, e apenas 21% compreendem que uma pessoa endividada é aquela que possui parcelas a vencer ou empréstimos feitos.