Um desafio às recuperadoras

0
6
O cheque está se tornando um meio de pagamento cada vez mais obsoleto. A afirmação é do diretor de cobrança da Intervalor, Donato Stillo Junior, o qual afirma que a maior dificuldade das recuperadoras ao tratarem das dívidas com os cheques devolvidos, é não ter a certeza real da recuperação total do crédito. Em entrevista exclusiva, o executivo aponta os desafios das empresas de cobrança frente a inadimplência, assim como as melhores práticas de análise de risco – em um mercado cujos dispositivos de pagamento estão em contante transformações. 
ClienteSA – Quais são os desafios das recuperadoras ao tratar das dívidas com cheques devolvidos?
Junior: A principal dificuldade é não ter uma garantia real atrelada à recuperação do crédito quando utilizado este meio de pagamento. Na maioria dos casos, cheques são utilizados para aquisição de bens de consumo no seguimento varejista e prestação de serviços. Contudo, é importante ressaltar que a emissão de cheque sem fundo acarreta a inclusão do nome do emitente no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF), impedindo o recebimento de um novo talonário de cheques, e, além disso, a emissão de cheques sem provisão de fundos de forma deliberada é considerado crime de estelionato. 
É de extrema importância a utilização desses argumentos no momento da cobrança, evidenciando ao inadimplente a importância da regularização da dívida.
Quais são as melhores práticas que a empresa utiliza para lidar com devedores e credores deste meio de pagamento?
A melhor prática é aquela que traz o melhor retorno de recuperação com o menor custo de investimento, sendo que para se chegar a essa relação é preciso estudar o perfil do inadimplente (behavior), a probabilidade de recuperação da dívida (score), considerando o valor e dias de atraso do débito. 
Desta forma, busca-se assertividade no contato com o devedor, se utilizando de ferramentas adequadas para a recuperação do crédito sem a exposição do inadimplente. Independente da dívida que está sendo cobrada e da ferramenta que está sendo utilizada, é importante transparecer ao devedor que a empresa de recuperação de crédito é facilitadora e pode oferecer subsídios para que a dívida seja liquidada, proporcionando novamente o acesso às linhas de crédito.
Qual você acredita ser o futuro deste meio de pagamento?
O cheque está se tornando um meio de pagamento cada vez mais obsoleto. É sabido que as transações realizadas pelos meios eletrônicos de pagamentos apresentam muito mais segurança e rapidez, quando comparado ao processo de utilização de cheque. 
Os recebedores dos cheques precisam utilizar todas as ferramentas possíveis de checagem, em busca de segurança na compensação do valor transacionado. Além disso, realizam várias consultas aos órgãos de proteção ao crédito e acabam solicitando um número exagerado de informações pessoais para se resguardarem em caso de devolução, fato que torna o processo cada vez mais caro, pelas consultas realizadas, e, moroso pela quantidade de informações requeridas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorE-commerce aquecido
Próximo artigoFoco em transparência