Vai querer correr o risco?

0
4
Não é de hoje que os crimes de fraude tiram o sono das empresas que lidam com crédito. Porém, essa preocupação tem crescido já que hoje eles acontecem cada vez com mais facilidade, principalmente pelas opções que existem hoje de aceso ao crédito sem a presença do consumidor. Por isso, alcançar uma segurança perfeita e não vulnerável está se tornando uma tarefa difícil, exigindo mais investimento. Nesse cenário, o risco maior já não é a fraude no momento da operação e sim o roubo de identidade, de acordo com Celso Pinto, gerente de soluções antifraude da Serasa Experian. Isso acontece porque a fraude muda de acordo com as proteções adotadas, segundo Claudio Pasqualin, diretor de produtos e desenvolvimento de negócios da TransUnion. “A fraude normalmente migra conforme as empresas se protegem do que elas estão sendo atacadas e, por consequência, os criminosos buscam outros caminhos”, explica.
A prevenção de fraudes requer profundo conhecimento dos processos de negócio para aquisição, manutenção e constante aprimoramento de sua segurança, contudo é impossível impedir a totalidade das fraudes, visto que ela é um risco natural do negócio, da atratividade do produto, e da relação com consumidores, explica Leonardo Soares, diretor executivo de produtos da Boa Vista Serviços. “Estas fraudes vêm aumentando de tal forma que muitas empresas vêm buscando soluções mais eficientes para identificá-la”, afirma.
Para ele as empresas estão se preocupando com o prejuízo, mas cada uma está num grau de maturidade para combatê-lo em todas as esferas. “Alguns segmentos acostumados há mais tempo com o risco estão mais avançados. Em outro extremo, empresas apenas embutem o prejuízo no custo e tenta recuperá-lo pelo preço de venda, onerando sua relação com o consumidor”, afirma. Além disso, ele aponta que cada setor tem um histórico diferente, o que lhe traz um aprendizado diferente, assim cada um tem uma visão e atuação sobre o problema. “Instituições financeiras empregam muita estatística e sistemas de regras no processamento e em outras fases do ciclo de vida do cliente, possuem células de análise especializadas, etc. Varejo faz algumas consistências cadastrais básicas e insuficientes por falta de histórico.”, exemplifica.
No momento, Marcos Nehme, diretor da RSA, divisão de segurança da EMC, afirma que a melhor maneira de evitar danos para o negócio é detectar e corrigir os ataques cibernéticos rapidamente. Para isso, as organizações devem alocar uma parte maior dos seus investimentos em segurança, para melhorar as funcionalidades de detecção e resposta perante ameaças. “Em primeiro lugar, devem obter uma visibilidade completa do que está acontecendo em seus ambientes de TI. Depois, devem ampliar essa visão para incluir inteligência de ameaças externas. As organizações terão que aprender a usar novos tipos de dados de segurança”, afirma Marcos.
Além disso, Celso Pinto explica que passos simples podem ser utilizados na hora de conceder crédito ou fazer uma venda para evitar fraudes. “Peça mais documentos, valide se a idade que está no documento condiz com o cliente que está presente, confirme o telefone e ligue no endereço. Esse tipo de cuidado mínimo ajuda o comerciante a se proteger e a proteger possíveis vitimas de fraude”, conclui. Para Estevan Portela, diretor de operações da Credz, todos esses cuidados são validos e importantes. “No geral todos os esforços em coibir as fraudes no mercado são válidos e no final o cliente é beneficiado, pois sabendo que a instituição que está concedendo o crédito está tendo toda a cautela no processo, demonstra que é uma empresa séria e confiável”, afirma.
E na sua opinião, qual a melhor técnica para prevenir a fraude nas operações de crédito? Deixe a sua opinião na enquete do Portal Crédito e Cobrança.


Confira as matérias exclusivas do especial:

Sem prejuízos

Estratégias de combate à fraude vêm
evoluindo para acompanhar focos do crime

Cada vez melhor

Conhecimento dos negócios e
monitoramento constante podem ser as chaves para prevenção de fraudes

Crédito em risco

Ataques de crime cibernético batem
recorde e empresas precisam investir em tecnologias mais avançadas

Proteção para todos

Investimento feito pelo setor de
cartões de crédito dá resultado, auxiliando na prevenção de fraudes

Identidade roubada

Com a maior proteção nos cartões de crédito,
falsidade ideologia se torna o principal tipo de fraude