Al Gore no Cidadão Global 2021, eventos pós-pandemia…

Santander Brasil e Valor Econômico trazem Al Gore para a edição 2021 do projeto Cidadão Global
No próximo dia 25 de maio, ambientalista e ex-vice-presidente americano falará sobre mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável em evento 100% online e gratuito
O Cidadão Global de 2021 vai receber o ambientalista e ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore para falar sobre meio ambiente, mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável. Realizada pelo Santander Brasil e pelo jornal Valor Econômico, a quarta edição do evento acontecerá pela segunda vez consecutiva em formato 100% digital e gratuito no dia 25 de maio, às 11h. As inscrições poderão ser feitas a partir de amanhã (15) no site https://cidadaovalorsantander.com.br. O fórum, que sempre traz um ciclo de debates sobre o que significa ser um cidadão do século 21, terá neste ano o tema Sustentabilidade: na visão de quem inspira e respira o progresso responsável do planeta. Na abertura, os líderes das empresas realizadoras do evento, José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo, e Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil, vão falar sobre a necessidade urgente de mudanças de atitudes da sociedade, governos e empresas, trazendo pautas propositivas e exemplos que sirvam de inspiração para ações futuras.

Eventos pós-pandemia: especialista acredita que formato presencial será protagonista novamente
Lives, que ficaram tão populares, como forma de aproximar as pessoas durante o distanciamento social, devem perder força
A pandemia de Covid-19 alterou brutalmente o setor de eventos. Segundo o Sebrae, o setor teve um prejuízo de R$ 270 bilhões, apenas entre março e dezembro de 2020, com o cancelamento de cerca de 98% dos eventos. A estudiosa na área e professora da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) Tânia Teixeira Pinto afirma que a volta dos eventos presenciais será gradativa, respeitando as normas de segurança. “O retorno deve iniciar em formatos menores quando estivermos livres desta pandemia. Estamos reprimindo nossas relações pessoais: os seres humanos são sociais, precisam de pessoas e de confraternização, os eventos proporcionam isso e voltarão mais fortes, para atender à necessidade das pessoas”. A professora diz que os eventos, como shows, representam experiência e sensações. Por isso, as lives, que ficaram tão populares, como forma de aproximar as pessoas durante o distanciamento social, devem perder força. Contudo, segundo a especialista, as lives serão usadas para os fãs assistirem seus ídolos à distância. “Os grandes nomes da música, certamente, vão usar o híbrido para aquelas pessoas que estão longe e, também, para mostrar como que aqueles fãs que estão presentes se divertem muito mais, divulgando e criando necessidade naqueles que não puderam estar presencialmente.”.