Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Data Driven: o termo que não é mais moda e sim uma realidade

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Autora convidada: Marina Almeida Carvalho é Gerente de Design e Marketing na ART IT

Se a sua empresa não é data driven, ela já está atrasada.

data driven é o mindset, são as práticas sistemáticas para obter informações e tomar decisões mais assertivas e sem vieses. Toda empresa tem o seu dado bruto, que precisa ser lapidado para se transformar em conhecimento. Esse conceito tem seu alicerce em processos, pessoas e tecnologias.

As informações coletadas são de imensa importância, pois a empresa passa a ter uma base sólida para tomar decisões, ao invés de achar, ou supor algo, e arriscar todo o negócio ou produto. Resumindo: ser data driven é ter seu negócio orientado a dados.

As equipes de marketing de grandes empresas, agências de publicidade e os grandes e-commerce já possuem há alguns anos uma área interna de inteligência de mercado, ou insights integrados, nos quais a função é analisar os dados e transformá-los em informações valiosas, estas se transformam muitas vezes em ações de engajamento, ou marketing viral, por exemplo.

Analisando o mercado no geral, sempre há novos players que atuam de acordo com o que está acontecendo no momento. Por exemplo, com a pandemia da Covid-19, tanto o mercado de logística, quanto a logística interna das empresas, precisaram se reinventar. Hoje eles coletam mais informações; quanto tempo um caminhão fica parado em determinado estabelecimento, qual o tempo médio de um ponto a outro, qual a demanda de produtos de uma determinada região e por assim vai.

E essas informações, se bem trabalhadas, geram insights maravilhosos para otimização de rota e também para o core da companhia: uma empresa pode entender que ter um centro de distribuição em uma região que tem bastante demanda, sai mais barato do que enviar caminhões.

Pensando mais à frente, quando a companhia atinge um certo nível de maturidade em relação aos dados – todos os processos, estratégias e métricas passam a ser organizados a partir dos dados, atingindo todos os níveis da empresa.

E quando essa cultura está no DNA, os líderes baseiam a sua gestão nos dados, os colaboradores buscam informações e insights para um projeto ou uma estratégia e todos os departamentos colaboram para entregar cada vez mais valores aos seus clientes, criar experiências memoráveis e apoiar a empresa no crescimento exponencial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima