46% dos empresários devem gerar novos empregos

0
2

Num encontro realizado recentemente com o Ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, 46% dos empresários que compõem o – Grupo de Líderes Empresariais (LIDE) – disseram que pretendem gerar novos empregos (diretos e indiretos) em 2004. Mas os empresários afirmam que, se a carga tributária fosse menor, contratariam mais. A pesquisa foi realizada pela FGV-EAESP com 200 das maiores lideranças empresariais do País no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo.
O estudo mostra também que 45% dos executivos presentes devem manter os postos de trabalho e somente 9% irão demitir ao longo do ano.

Durante o almoço, foi medida também a eficiência gerencial do Governo Federal. Pelo resultado, Lula obteve a nota 3,5, numa escala de 0 a 10, que ia de péssima à ótima, passando por ruim, regular e boa. Em março e abril, as notas foram, respectivamente, 3,2 e 2,9.

Outro item avaliado foi o “fator que impede o crescimento de uma empresa”. Para 71% dos empresários participantes, a maior causa apontada foi a Carga Tributária. Em abril desse ano, menos de 60% consideravam esse fator prioritário. De posse do resultado, o ministro Ricardo Berzoini concordou com a opinião dos empresários.
“Concordo e queremos alcançar as condições macroeconômicas para que o Brasil possa reduzir as cargas tributárias.”

O ministro Berzoini disse também que o Governo Federal pretende rever o Cofins a partir de 2005. Sobre esse assunto, no início do ano, o LIDE publicou nos principais jornais do país manifestação pública sobre o aumento dessa alíquota.

O encontro teve a participação de dirigentes de algumas das maiores companhias privadas do País. A mesa debatedora foi formada por Emilson Alonso, Presidente do HSBC; Hélio Magalhães, Presidente da American Express; Fernando de Souza Meirelles, Diretor-Geral da FGV-EAESP; Marcel Fleishmann, Presidente do Mcdonald´s; Paulo Zottolo, Presidente da Nivea Beiersdorf; Fernando Terni,
presidente da Nokia; e Luis Cosio, Presidente da Claro. O Mediador-Coordenador do debate foi o jornalista João Doria Jr., Presidente da Doria Associados

Esse foi o quinto grande encontro das maiores lideranças empresariais do País, que representam mais de um terço do PIB nacional, com personalidades do mundo da política e da economia. Até agora, já participaram dos encontros do *LIDE* o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, o presidente do Conselho da Telmex – detentora da operadora Claro e da Embratel no Brasil, o megaempresário, Carlos Slim -, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan.