A força da web no varejo

0
2
Com o mercado de varejo em expansão, a integração entre diversas plataformas de venda e interação com a marca deve ser a grande aposta das empresas do setor. Muitos varejistas, inclusive, já estão engajando seus clientes no modelo chamado de “omnichannel”. De acordo com a Bain & Company, o comércio eletrônico já responde por 10% das vendas nos Estados Unidos e, no Brasil, em torno de 4%.
Em nosso país, as vendas online devem alcançar faturamento de R$ 42 bilhões em 2016, crescendo a uma taxa composta média anual (CAGR) de 17%, velocidade aproximadamente duas vezes superior à das vendas totais do varejo. Alfredo Pinto, sócio da consultoria, comenta que “embora os números atuais ainda não sejam tão expressivos, é importante salientar que a rede já influencia mais da metade das aquisições realizadas nos espaços físicos. Quando chega à loja, o consumidor já comparou marcas e valores. Sabe exatamente o que quer e tem condições de negociar”.
De acordo com o executivo, os varejistas devem perceber que os âmbitos físico e digital precisam se complementar e não competir um com o outro. “O varejo tradicional precisa se equipar tecnologicamente, se atualizar com as ferramentas e mídias que surgem a cada dia, e preparar a mão de obra, sem medo de ousar. Temos visto novas ideias de integração sendo implementadas a partir de inovações propostas por clientes e colaboradores às empresas. Os varejistas que aprendem a conseguir vantagens a partir desse novo modelo de integração de canais estarão posicionados para o sucesso”, finaliza.