ABDR investe em solução de TI

0
5


Prática comum no meio universitário, porém ilegal, o ato do estudante fotocopiar trechos de livros científicos com o objetivo de economizar na compra de variados títulos ao longo do curso, tem causado sérios prejuízos para autores e editoras de todo o país. A estimativa da ABDR (Associação Brasileira de Direitos Reprográficos) é de que, nos últimos dez anos, o setor tenha reduzido em 35% o número de exemplares técnico-científicos vendidos, hoje na casa de 19,9 milhões de cópias por conta do conhecido “xérox”. Para combater a pirataria editorial, por meio de uma solução de negócios alternativa e inovadora e não apenas com “policiamento”, a ABDR criou o projeto Pasta do Professor, que visa disponibilizar um portal de venda e impressão de capítulos de obras aos alunos.

Com lançamento previsto para o primeiro semestre desse ano, 2007, o portal manterá acessível uma ampla bibliografia digitalizada, sendo assim partes dessas obras poderão ser adquiridas de maneira totalmente legal e com preço acessível. Com o apoio e respaldo financeiro de 14 empresas do mercado editorial científico do país, que, juntas, respondem por 80% deste mercado, a ABDR contratou a consultoria de tecnologia da informação Neoris para desenvolver a plataforma eletrônica para a administração, catalogação, venda e impressão de conteúdo digitalizado, por meio de uso intensivo de criptografia e arquivos PDF. A tecnologia escolhida pela Neoris para suportar tanto o ambiente do portal como a aplicação de impressão foi o Microsoft.NET.

A solução desenvolvida pela Neoris permitirá que professores disponibilizem as bibliografias em ´pastas do professor´ virtuais, com conteúdo a ser usado na sala de aula, por Disciplina e Curso, para posterior seleção e impressão por parte dos alunos. A venda poderá ser feita por meio das próprias empresas de “xérox”, instituições de ensino e livrarias. Os parceiros de vendas terão um computador padrão e uma impressora digital ligada à máquina. Cada arquivo poderá ser impresso uma única vez e terá uma marca d´água que registrará todos os detalhes da respectiva impressão. Os valores a serem pagos pelos usuários ainda devem ser definidos por autores e editores.