Abeprest desenvolve banco de dados salarial

0
0

Uma das prioridades da Abeprest, Associação Brasileira de Empresas Prestadoras de Serviços em Telecomunicações, com relação ao novo governo é a atual situação do emprego no setor de telecomunicações. Com a importação de profissionais estrangeiros e a retração do mercado, muitos formandos da área estão saindo das universidades sem postos de trabalho definidos, aumentando os níveis do desemprego nacional, ou recebendo salários bem inferiores às médias praticadas há algum tempo. Para embasar sua teoria e auxiliar seus associados a traçar um melhor panorama dos postos de trabalho do setor, a Abeprest está projetando um banco de dados salarial.

“Com o projeto, tanto a Abeprest quanto seus associados serão capazes de traçar a evolução dos postos de trabalho, aprofundando a visão do mercado, bem como uma fonte de consultas para aplicação no processo de remuneração “, afirma Herold Weiss, presidente da Abeprest. “Para tornar a ferramenta importante em nossas conversas com o Ministério das Telecomunicações e com a Anatel, cruzaremos os dados obtidos com os resultados da última pesquisa que realizamos sobre o setor de serviços em telecomunicações, que já indica um cenário pouco favorável para o mercado de trabalho.” Dados do Ministério do Trabalho e Emprego apontam reduções de 22,9% nos postos formais de emprego nas operadoras e 32% em prestadores de serviços para telecomunicações.

Para desenvolver o banco de dados, a associação contratou a Wiabiliza – RH, especializada em recursos humanos. A iniciativa deve ser finalizada no primeiro semestre de 2003.