AccesStage estima crescer 50% em 2007

0
0
Repetindo feito que ocorre desde 2002, quando entrou em operação, a AccesStage, fornecedora de soluções para ambientes eletrônicos de negócios, registrou em 2006 números expressivos. Constituída pelos grupos Mitsubishi e Intec, a companhia apresentou um aumento de receita da ordem de 45% e uma evolução de 150% no lucro líquido. Já o número de clientes subiu de 16 mil para 24 mil, acompanhando a curva de crescimento da empresa ao longo dos cinco anos de existência, que varia de 40% a 50% por exercício. Além disto, nos últimos 12 meses, investiu cerca de R$ 5 milhões em data centers, soluções e softwares e também aumentou em 25% a equipe de profissionais. Para 2007, a expectativa é crescer 50%.
Com base no cenário favorável de 2006 e já identificado também em 2007, a AccesStage começa a estruturar e credenciar novos parceiros de negócios regionais – a empresa já mantém uma estrutura de suporte técnico em todo território nacional. Em dezembro, pouco tempo após o início do projeto de expansão comercial, a AccesStage já possuía oito canais credenciados, no Nordeste, Norte, Sul , Rio Janeiro e São Paulo. Para 2007, a idéia é avançar no Nordeste, que é bastante fragmentado, centro-oeste, incluindo Brasília, e Sul, onde ainda existe um grande trabalho a desenvolver. A AccesStage mudou também o posicionamento no mercado e dividiu a área comercial em três verticais de negócios. A primeira delas irá atender o “carro-chefe” da empresa, que é o setor financeiro, a segunda engloba serviços e a terceira vertical composta por empresas de manufatura (industrial).
Novos serviços e produtos também foram planejados e estarão sendo lançados em 2007. O BPO (bussiness process outsourcing) é um novo serviço que em um primeiro momento, terceiriza processos manuais dos mais diversos departamentos e verticais, como por exemplo, contas a pagar e recebimento, como um todo (pessoas, regras, máquinas, tecnologia, etc.) e depois, automatiza e otimiza a produção da área em questão.
Para acompanhamento e gestão da arrecadação, a AccesStage, concebeu o Gemini, sistema que gerencia movimentos de débito e crédito automático, via web e, relatórios de Posições Gerenciais, que são geradas a partir dos arquivos de retorno de código de barras e demonstram diariamente os volumes arrecadados por diferentes itens. Já para facilitar os serviços de cobrança a empresa criou a solução de Boleto Eletrônico, que também utiliza tecnologia via web e objetiva automatizar, com segurança, processos burocráticos. O serviço de Captura/Varredura de boletos, direcionado a área de contas a pagar, viabiliza de forma on-line e segura a geração de arquivos contendo os dados impressos dos boletos bancários, eliminando as atividades manuais de recepção, abertura e preparação destes documentos, além de agilizar o processo de conciliação das Notas Fiscais .
João Elcio Groppa, gerente de produtos e marketing da AcceStage, explica que a estratégia em 2006 foi formatar estas soluções e serviços e validá-las com parceiros e clientes pilotos. A meta é que, em 2007, já representem 20% do faturamento. “Essas soluções e serviços foram criadas para atender especificamente a demanda dos novos clientes e pode-se dizer que também foram um importante fator colaborativo para a ascensão da empresa em 2006. Complementamos a linha tradicional de EDI e agregamos valor ao nosso portifólio. Atendem às três verticais, pois por serem voltados à cobrança, pagamento de fornecedores e arrecadação, acabam envolvendo mais segmentos de serviços”, afirma.