Acima das expectativas

0
1



As vendas dos canais de TI (varejistas, distribuidores e atacadistas) em 2009 superaram amplamente as expectativas projetadas para o ano. De acordo com a pesquisa Expectativas Comerciais do Canal de TI, realizada em dezembro de 2009, pela Marco Consultora, consultoria especializada em desenvolvimento e implementação de serviços de marketing sob medida, 90% do total de canais de vendas consultados disseram ter crescido em relação a 2008. Em dezembro daquele ano, apenas 41% deles acreditavam no crescimento.

 

A pesquisa, que está em sua 5ª edição, foi realizada simultaneamente no Brasil, Argentina, Chile e México. Nos quatro países, diferentes percentuais de canais mencionaram ter crescido em 2009 frente a 2008. O país com menor crescimento foi o México, onde apenas 29% dos canais de TI disseram ter aumentado as vendas; seguido pela Argentina 45%; Chile 56%; e o Brasil com a maior fatia de crescimento das vendas dos canais, 90%. “Esse é mais um indicativo da pujança da economia brasileira na atualidade”, diz Edson Barbero, gerente de Business Intelligence da Marco Consultora e coordenador da pesquisa.

 

Com relação às expectativas de vendas para 2010, os canais brasileiros mostram forte otimismo: 82% esperam aumentar as vendas. Dos demais países pesquisados, o Chile é o que apresenta a mais alta expectativa, 95% acreditam que as vendas subirão, seguido pela Argentina, com 52%; e do México, com uma expectativa bem abaixo dos demais, apenas 25% crê na elevação das vendas. “Neste aspecto, mais uma vez o México, com sua forte dependência da economia americana, teve os piores resultados”, comenta Barbero.

 

A pesquisa também perguntou aos canais qual produto esperam comercializar mais em 2010. Dos 102 canais brasileiros consultados, 45 disseram o notebook; 29 o smartphone; 21 o telefone celular; e netbook e desktop 5 canais para cada produto. “Provavelmente isso não indica que, em volume, teremos mais computadores portáteis comercializados que celulares. Tende a significar, contudo, a enorme demanda latente por notebooks, produto que se popularizará ainda mais em 2010”, avalia o executivo.

 

O coordenador da pesquisa comenta que a presença do smartphone em segundo lugar foi uma surpresa. “Possivelmente, também esses resultados signifiquem a forte ênfase que se tem dado hoje em dia para um estilo de trabalho flexível em que o profissional poder estar conectado em qualquer lugar. Outra surpresa da pesquisa foi a baixa expectativa de vendas de netbooks. “Ainda há desconfiança do consumidor mais leigo sobre a efetividade dessas máquinas. Acreditamos, contudo, que esse produto será muito vendido no futuro próximo”, diz Barbero.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAção Assessoria abre vagas
Próximo artigoTerceirização de serviços