Akwan e Calandra oferecem soluções complementares

0
17

Há um ano e meio, a Akwan – empresa brasileira especializada no desenho sob medida e na implementação de soluções de coleta, indexação e organização de informação – e a Calandra – especializada em sistemas de gestão na Web – perceberam que poderiam alinhar interesses para formar uma parceria comercial. As ofertas das duas empresas são distintas. Enquanto a Calandra se concentra na gestão dos fluxos de informação, a Akwan promove a organização do vasto acervo documental gerado por estes fluxos. Da possibilidade de venderem suas soluções de maneira complementar, surgiu a aliança que disponibiliza ao mercado um conceito inovador de organização do conhecimento.

Usuária do software Akwan, a Calandra já participou de outros projetos com parceiros como o CESAR; e possui hoje mais de 60 clientes nas áreas de indústria, serviços e governo. Com a parceria, espera aliar sua experiência em gestão de informações, principalmente em portais corporativos, com a tecnologia e a visão da Akwan para organizar e automatizar a entrega da informação. “Nós trabalhamos com elementos que tratam o significado do conteúdo, enquanto a Akwan é especializada em indexar a informação de acordo com seus significados”, explica Pedro Paulo Magalhães, diretor executivo da Calandra, salientando os objetivos convergentes das duas empresas.
Segundo Magalhães, a preocupação com a gestão de dados dos portais corporativos é pioneira, mas evoluiu. Já os mecanismos e soluções de acesso à informação ainda estão amadurecendo. A Akwan foi considerada a parceira ideal e mais próxima deste amadurecimento, por sua ligação com o ambiente acadêmico – considerado pela Calandra, uma rica fonte de pesquisas – e pelo fato de ser uma empresa bem posicionada em seu mercado.
Para Berthier Ribeiro Neto, diretor-executivo da Akwan, “a nova oferta pode ser considerada uma fórmula mais acessível para o complexo processo de organização do conhecimento. Com ela, a informação poderá ser vista e tratada com a devida importância estratégica que merece”, complementa.