Além do básico

0
13
A partir de interações, pesquisas e monitorias feitas com os diferentes públicos das 200 principais empresas do país, a DOM Strategy Partners criou o ranking “Empresas que produzem mais Valor Sustentável por Stakeholder”. O objetivo do estudo foi avaliar a capacidade de um empreendimento em gerar e proteger valor para seus consumidores, acionistas, funcionários, sociedade, setor, clientes B2B e para o país. Para viabilizar a pesquisa, a consultoria se apoiou na metodologia EVM, Enterprise Value Management, corrente que defende a tese de que o valor produzido pelas empresas, tanto gerado, como protegido, seja este tangível ou intangível, é agregado (ou destruído) e materializado (quantificado) em função da percepção de valor apreendida e tangibilizado pelos stakeholders.
A resposta sobre a capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia: Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.   A gama de informações resultou em sete rankings específicos por stakeholder: Mais Valor para Funcionários (Bradesco, McDonald’s e Promon, respectivamente); Mais Valor para Acionistas – empresas listadas na Bolsa de Valores (Souza Cuz, CCR, Itaú-Unibanco) e empresas de capital fechado (O Boticário, Netshoes e Stefanini); Mais Valor para a Sociedade (Google, Natura e Facebook); Mais Valor para o País (Petrobras, Vale e Banco do Brasil), Mais Valor para a Cadeia de Valor (Ambev, Basf e Fiat); Mais Valor para o Cliente – visão B2B e B2B2C (Microsoft, Porto Seguro e Totvs) e Mais Valor para os Consumidores – visão B2C (Nestlé, Alpargatas e Jonhson & Johnson).