Alta da inadimplência de empresas

0
1


A inadimplência das empresas aumentou 1,8% em outubro de 2005, quando comparada a setembro deste ano, é o que mostra o Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica. O aumento em outubro interrompeu o ciclo de quedas consecutivas verificado nos dois meses anteriores. Em setembro deste ano, a inadimplência da pessoa jurídica caiu 5,7%, em relação a agosto. Na comparação de agosto de 2005 com julho do mesmo ano, a inadimplência das empresas havia diminuído 14,9%.

Em relação a outubro de 2004, houve alta de 12,7% na inadimplência da pessoa jurídica. O aumento também foi registrado na comparação dos dez primeiros meses de 2005, com o mesmo período de 2004, com uma variação de 14,4%.

Segundos os técnicos da Serasa, a redução no ritmo da atividade econômica, combinada as taxas de juros ainda elevadas contribuíram para restringir a capacidade das empresas em honrar seus compromissos, e por conseqüência, aumentar a inadimplência nos períodos analisados.

Representatividade – O indicador mostrou que os títulos protestados registraram a maior representatividade na inadimplência das empresas, com a participação de 41,0% em outubro de 2005, inferior a registrada em outubro de 2004, quando os protestos tiveram participação de 43,0%. O segundo índice na representatividade do indicador de inadimplência é o de cheques sem fundos, que em outubro de 2005 teve um peso de 38,9% na inadimplência das empresas, a mesma registrada em outubro de 2004. Com a menor representatividade, mas crescendo a cada ano, estão as dívidas registradas com os bancos, 20,1% em 2005, superior à participação de outubro de 2004 que foi de 18,1%.

No acumulado de janeiro a outubro de 2005, o valor médio das anotações de cheques sem fundos da pessoa jurídica atingiu R$ 1.227,20. Já o valor de títulos protestados registrou R$ 1.406,42 e o valor médio das dívidas registradas com os bancos foi de R$ 3.196,85. Em relação ao período de janeiro a outubro de 2004, houve um aumento de 2,7% no valor médio das dívidas com cheques sem fundos e de 5,7% no valor médio das anotações de protestos. O valor médio das dívidas com bancos e financeiras, nos dez meses de 2005, é 14,8% maior que no mesmo período do ano passado.

Metodologia – O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas vencidas com instituições financeiras.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorE-business no varejo
Próximo artigoInfra-estrutura de apoio