Angra 2 otimiza monitoração de processos

0
1


A Eletronuclear, empresa de economia mista responsável pela operação das usinas Angra 1 e 2, promoveu, em 2003, uma concorrência pública para execução do projeto de substituição dos equipamentos de monitoração de processos de Angra 2, que estavam obsoletos, pois eram da década de 70 e, conseqüentemente, possuíam algumas limitações. Responsável pela melhor proposta técnica e financeira, a Cimcorp, integradora e provedora de soluções de tecnologia da informação e outsourcing, foi a vencedora da licitação.

Com um investimento aproximado de R$ 800 mil, a usina adquiriu servidores, estações, switches, entre outros equipamentos para servir como infra-estrutura computacional para o sistema SICA-A2, desenvolvido pelo Laboratório de Monitoração de Processos da COPPE/UFRJ, que monitora todos os processos de produção de energia nuclear em Angra 2. Após um ano e meio entre entrega e implantação desses recursos, os primeiros resultados começam a aparecer.

Com o novo ambiente, os sinais de processo de Angra 2 são adquiridos por equipamentos da Siemens (CLPs S7-400) e transferidos para os servidores HP (Proliant Xeon), monitorando, em tempo real, todo o processo de produção de energia nuclear da usina, calculado em 1350 MW por hora. O sistema SICA-A2 permite gerenciar a ocorrência de alarmes e falhas, alertando os operadores por meio de sinais sonoros e visuais e, dessa forma, tornando a operação mais segura. Ao todo, são mais de 12 mil sinais monitorados e a resolução entre eventos é da ordem de milisegundos.

“No sistema original tínhamos dificuldades de manutenção, a interface homem-máquina possuía poucos recursos, a arquitetura era muito centralizada e os componentes da infra-estrutura legada era ultrapassada”, afirma Eduardo Valdetaro, engenheiro eletrônico e supervisor de computadores e processos de Angra 2. Agora as melhorias observadas incluem processamento mais eficaz, aumento de memória, velocidade e disponibilidade dos equipamentos e históricos, aprimoramento nas cores de apresentação, telas de fluxograma e interação dos operadores e os sistemas, entre outras.