Ano das novas plataformas?

0
6
Em 2015, a palavra de ordem para a Hellofood era acessibilidade. Em meio ao cenário problemático de crise política e econômica, esse foi o caminho para obter bons resultados. Para 2016, as previsões não serão muito diferentes. Segundo Gustavo Molina, diretor geral da empresa no País, esse será um ano para investir em novas plataformas de atendimento, como Whatsapp e Viber. “Elas devem ser cada vez mais utilizadas pelas empresas, focando em um estreitamento do relacionamento com o cliente por meio de plataformas mais informais e ágeis”, aponta.
Até porque, tanto quanto o ano passado, proporcionar acessibilidade é necessário, pois o cliente continua com receio e cautela, o que faz com que o esforço de proximidade por parte dos negócios seja um processo essencial para manter a base em boas condições. “Novamente, o cliente final estará na busca de uma qualidade de atendimento maior”, prevê o executivo, bem como procurará também por acessibilidade dos preços, uma vez que não se espera que a economia melhore tão logo. “O mercado de gestão de clientes acompanhará essa tendência e cada vez mais personalizará o consumidor, dando uma experiência específica e única para cada pessoa.”
Além disso, não é de hoje que diversas empresas e especialistas analisam que a experiência única é a melhor forma de conquistar atenção dos públicos. Não por menos, afinal, a cada dia que passa, eles têm acesso a uma quantidade infindável de informações, próximo de milhares de marcas e produtos. Por isso, o investimento em novas plataformas poderá ser o mapa do tesouro de 2016. Além disso, Molina também acredita que esse ano será transformador para as empresas. Elas se virão obrigadas a manter o alto nível no serviço de atendimento, sempre buscando reduzir custos para se manterem competitivas. “Esse ano estará melhor que 2015, porém ainda será um ano difícil. Se por um lado teremos grandes eventos como Olimpíadas, que são excelentes oportunidades para atacar novos clientes, o Brasil ainda estará se recuperando da crise, com clientes ainda preocupados com o orçamento familiar.”
Molina ainda conta que, em 2016, a Hellofood terá novamente o cliente em foco. Assim, o objetivo será de “expandir ainda mais nosso serviço de entregas próprias, onde temos um controle maior de toda nossa operação e da experiência do usuário”. E o trabalho será tanto em novas ferramentas de contato, como de personalizar a experiência do público. “De forma a garantir um nível de serviço e qualidade excepcional.”