Apesar de tímido, otimismo empresarial cresce

0
1
Os empresários paulistas estão se apresentando menos pessimistas em relação aos rumos da economia brasileira. A Pesquisa Clima Empresarial LIDE-FGV, realizada com 330 empresários presentes ao Almoço-Debate promovido no dia 26 de agosto pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, liderado pelo empresário João Doria Jr., mostra que o índice geral de clima empresarial subiu para 4,2, pequena margem em comparação ao mês de julho. O índice, calculado pela Fundação Getúlio Vargas, é uma nota de 0 a 10, resultante de três componentes com o mesmo peso: governo, negócios e empregos. Na edição passada, o índice era de 4,0 e já havia caído em relação ao mês anterior (5,2). É o primeiro indício de melhora, desde novembro de 2010.
 
No que se refere a negócios, 35% dos empresários que participaram da pesquisa responderam que o cenário deve melhorar em 2013. É a terceira vez que este índice é registrado. Pela segunda vez na pesquisa, a “carga tributária” teve índice abaixo dos 50% (47%) na pergunta sobre os fatores que impedem o crescimento. O fator impeditivo que mais cresceu na pesquisa passada, foi o cenário político, que sinalizou ligeira queda, 29% contra 27% atuais. 
 
No quesito emprego, 27% dos empresários pretendem empregar, enquanto 50% têm intenção de manter os níveis de emprego e 23% pensam em demitir. Na edição passada, 26% responderam que abririam novas vagas.
 
O item governo demonstrou uma melhoria na percepção da eficiência gerencial nas três esferas: municipal, estadual e federal. No caso do âmbito federal, esse índice vem caindo desde novembro de 2010 e alcançou 2,4% na pesquisa atual (2,2% na edição anterior). Além disso, o âmbito estadual raramente atingiu índice abaixo de 5% e nesta pesquisa alcançou 4,3%.