Apple Pay, futuro das compras?

0
1
Quando a Apple anuncia um lançamento em seu portfólio de produtos e serviços o mundo fica atento, pois sabe que a empresa poderá trazer algo novo que irá mudar e a fará se diferenciar no mercado de tecnologias e dispositivos móveis. O que não foi muito diferente na apresentação dos novos Iphones 6 e Plus, bem como do Apple Watch, que, como de costume, fez clientes criarem filas de espera para serem os primeiros a terem o produto. Além deles, a Apple anunciou o seu sistema de pagamento mobile, o Apple Pay. Apesar de só começar a funcionar esse mês, e somente nos Estados Unidos, ele já trouxe pauta a discussão de como será o futuro do consumo, uma vez que promete trazer uma mudança no comportamento.
Os clientes não mais precisarão fazer uso da carteira ou de seus cartões de crédito e débito físicos, pois, via NFC, o usuário cadastra seus cartões na iTunes Store e nas lojas que aceitarem a opção, bastando que ele autentique a transação por meio da biometria. Visando, assim, oferecer às pessoas uma maneira mais segura, rápida e prática de pagamento. “A integração com o Apple Pay torna o processo de compra mais fácil para os nossos clientes, que podem concluir a transação com apenas um toque”, concorda Tomás Penido, diretor de marketing e comunicação do Groupon Brasil.
Segundo o executivo, o Groupon já registra 92 milhões de downloads de seus aplicativo ao redor do mundo e mais da metade das transações já ocorrem por meio dos dispositivos móveis. Ou seja, o novo serviço da Apple virá como mais uma opção aos clientes da loja. “Acreditamos que tudo o que é bom para nossos clientes, é bom para o Groupon”, completa ele. “Além disso, para os parceiros, ter mais uma opção de pagamento amplia a possibilidade de fechar vendas e traz mais comodidade a todos os níveis da cadeia de consumo.”
Mas, o que esperar com o Apple Pay no mercado? “Esperamos que ele torne ainda mais rápida e prática a conclusão de uma transação feita por meio de dispositivos móveis, tornando o processo de compra e venda mais simples e agradável, sem atritos”, afirma Penido. Ainda assim é cedo para dizer como será, principalmente, com relação aos clientes. “A gente oferece uma série de ferramentas que auxiliam o parceiro a administrar o relacionamento com o cliente, uma delas é a plataforma Gnome, que permite visualizar a venda e o uso dos vouchers, status da ofertas e as recomendações da clientela. Por isso, o foco inicial da integração com o Apple Pay é realmente a tecnologia de pagamento móvel.”
O que fez o Groupon fazer parte das empresas já participantes desse serviço, segundo o diretor, além de oferecer mais uma alternativa nas formas de pagamento aos clientes, é também uma forma de fortalecer a relação que já existe com a Apple. “Temos uma relação de trabalho de longa data com a Apple, em virtude da experiência no desenvolvimento de nossos aplicativos para iOS. Por isso, a parceria fez muito sentido para nós. Afinal, o aplicativo do Groupon está entre os 25 mais baixados na App Store”, explica. Sem contar ainda o interesse do site de compra coletiva de estar presente em meios de pagamentos móveis. “Estamos realmente focados em inovação neste segmento, que em um futuro próximo deverá movimentar bilhões de dólares. Mais do que resultados financeiros, queremos oferecer ao nosso usuário a melhor experiência possível.”