O canal para quem respira cliente.

As cifras do e-commerce mundial

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Com a economia mundial ainda em recuperação, empresas e exportadores podem alavancar seus negócios com vendas online internacionais. Ao todo, serão mais de 94 milhões de pessoas realizando compras online em sites estrangeiros, totalizando um faturamento de US$105 bilhões. Esta é uma das descobertas da pesquisa do PayPal, especialista mundial em pagamentos online, intitulada Modern Spice Routes: The Cultural Impact of Cross-Border Shopping.
 
O levantamento analisa os gastos com compras online em sites estrangeiros e o comportamento do consumidor em seis grandes mercados: Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Austrália, China e Brasil. Entre os brasileiros, o montante gasto, até o final deste ano, deve atingir cerca de R$ 2.6 bilhões em compras em sites estrangeiros. O estudo mapeia os principais caminhos do comércio eletrônico global e algumas tendências e oportunidades deste mercado de exportação online, como:
 
– Até o final deste ano serão mais de 94 milhões de pessoas realizando compras online transnacionais. Ao todo, serão faturados US$105 bilhões; 
– Até 2018, haverá um aumento de quase 200% no volume transacionado,  totalizando US$307 bilhões em faturamento com 130 milhões de consumidores. Apenas no Brasil, este aumento será de 546%, totalizando o montante de quase R$ 17 bilhões;
– Os destinos internacionais do e-commerce mais populares são: Estados Unidos (45%), Reino Unido (37%), China continental (26%), Hong Kong (25%), Canadá (18%), Austrália (16%) e Alemanha (14%). Já os brasileiros optam primeiro pelos Estados Unidos (79%), seguido pela China (48%), Hong Kong (17%) e Reino Unido (17%);
– As principais categorias de compras para os compradores transnacionais nestes seis mercados são: vestuário, calçados e acessórios (US$12,5 bilhões); remédios e cosméticos (US$7,6 bilhões); joias e relógios (US$5,8 bilhões); eletrônicos pessoais como tablets e smartphones (US$6 bilhões); computadores e hardware (US$6 bilhões); e eletroeletrônicos (US$5,4 bilhões);
– As principais razões para aquisições online em portais estrangeiros são: a economia de dinheiro (80%) e a variedade de produtos (79%). Este cenário também mostra que o comprador transnacional busca por itens estrangeiros autênticos e de alta qualidade, além de preços mais em conta. 
   
Despertar das empresas
Como os Estados Unidos são um dos principais destinos internacionais para compras online, a pesquisa indica que a demanda transnacional por produtos norte-americanos por parte dos outros cinco mercados valerá US$23.2 bilhões, ate o final de 2013, e deve aumentar para US$83,4 bilhões até 2018. 
 
Os brasileiros estão nesta lista dos que mais buscam produtos em sites norte-americanos: o estudo estima que os consumidores daqui movimentem R$ 1.3 bilhão em compras nos EUA até o final de 2013. Outro destaque apontando pela pesquisa é que o volume concentrado em sites chineses já atinge R$ 600 milhões, significativamente acima do primeiro mercado europeu na lista, o Reino Unido, com R$ 127 milhões. No Brasil, até o final deste ano, os americanos gastarão R$ 849 milhões; seguidos dos britânicos, com R$ 115 milhões; alemães, com mais de R$ 88 milhões; australianos, com cerca de R$ 9,5 milhões; chineses, com R$ 400 milhões. 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima