O canal para quem respira cliente.

Aumenta o número de dividendos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Em função dos lucros estáveis obtidos nos últimos anos, os acionistas tiveram maior retorno de seus investimentos, medido pela relação dividendos sobre patrimônio líquido. O valor dos dividendos que representavam 8% do patrimônio líquido em 2002, passou para 13% em 2004. Vale ressaltar que esse desempenho foi influenciado pelo setor de serviços, que teve o maior volume de dividendos distribuídos, equivalentes a 17,7% do patrimônio líquido em 2004. As indústrias distribuíram dividendos de 11,7% do patrimônio líquido em 2004, enquanto o setor de comércio distribuiu 3,0%. Esses são os números de um estudo elaborado pela Serasa.
A análise dos lucros distribuídos ganha outra dimensão quando comparados com os investimentos realizados, pois revela que a distribuição dos dividendos foi maior que os investimentos na própria empresa. Os dividendos de 2004 equivaliam a 5,7% do faturamento, contra 5,1% em 2003, enquanto os investimentos de 2004 equivaliam a 5,3% do faturamento, contra 3,2% em 2003.
Analisando individualmente os setores, observa-se comportamentos bastantes diferenciados. O setor de serviços, principalmente em função dos segmentos de energia elétrica e telefonia, chama a atenção pelo fato de que, em 2004, além de distribuir o maior percentual em relação ao faturamento dos três setores analisados, 11,5%, o valor ainda foi superior ao lucro do ano, enquanto os investimentos representaram 8,5% do faturamento. A indústria, foi o segmento que apresentou números mais equivalentes em 2004, distribuindo 5,3% e investindo 5,5% do faturamento do ano, destacando-se que esta relação era inversa no ano de 2003, distribuindo 5,9% e investindo 3,1%. O setor de comércio, que dentre os setores é o que, historicamente, trabalha com a menor margem líquida, distribuiu o menor percentual em relação ao faturamento dos períodos, 0,5% em média, e investiu na própria empresa 1,3%, em média.
A base do estudo feito pela Serasa é uma amostra de 1.500 demonstrativos contábeis de empresas brasileiras cadastrados em sua base de dados até fevereiro último. Para a elaboração do estudo foram utilizados demonstrativos tanto de empresas de capital aberto como de capital fechado, de grande, médio e pequenos portes, com uma amostra de 500 demonstrativos de cada um. Não foram considerados no estudo as empresas do setor financeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima