Banda larga cresce 5% no Brasil

0
0
A quinta edição do Barômetro Cisco de Banda Larga mostra crescimento de 5,26% na base de usuários de banda larga no Brasil, no primeiro trimestre de 2007. Assim, 301 mil novos consumidores beneficiam-se dos serviços de Internet em alta velocidade no País. O trimestre rompeu a marca de seis milhões de acessos, totalizando 6.007 mil usuários. Nos últimos doze meses (março de 2006 a março de 2007) o Brasil registrou 1.643 mil novas conexões.
Apesar de positivo, o crescimento de 5,26% foi o menor registrado nos últimos quatro trimestres. A taxa de crescimento mantém-se ainda positiva devido à concorrência entre operadoras de telefonia e de TV a cabo. Esta dinâmica é observada no mercado desde o terceiro trimestre de 2006, fundamentada nos pacotes de serviços tipo Triple Play e novas ofertas de 2, 4 Mbps e 8 Mbps de velocidade.
“O número de 300 mil novos acessos é significativo. Esta desaceleração, entretanto, mostra que a partir de agora, considerando a forte correlação entre preço e demanda por serviços banda larga, serão necessários além de um ambiente competitivo, novos mecanismos para redução dos preços, incluindo benefícios fiscais, a exemplo do que o governo federal fez em relação à compra de computadores. É preciso também uma regulamentação focada para incentivar a universalização do serviço de banda larga e a utilização de novas tecnologias de acesso, tais como redes Wireless Mesh. Se isso acontecer, poderemos manter o mesmo ritmo acelerado de crescimento para os próximos anos atingindo, e até mesmo superando, a meta original de 10 milhões de conexões até 2010”, comenta Pedro Ripper, presidente da Cisco do Brasil.
É importante ressaltar a crescente participação da tecnologia cable no mix de tecnologias de conexão presentes no Brasil. Em março de 2007, 18,9% dos acessos banda larga no País eram baseados em cable. A xDSL, entretanto, continua líder com 77% do total de acessos. A queda constante de participação de mercado desta tecnologia é algo em torno de 0,7% ao trimestre. Considerando os 301 mil novos acessos banda larga instalados durante o primeiro trimestre de 2007, 64% utilizam tecnologia DSL e 30% cable, mantendo uma distribuição similar aos trimestres anteriores.