BB muda para crescer

0
4
O Banco do Brasil anunciou hoje (07/05), em Brasília, um conjunto de ações com o objetivo de aumentar a eficiência operacional e melhorar a dinâmica da gestão. Para fortalecer a competitividade, a diretoria do banco aprovou alguma medidas, como: aperfeiçoamento do modelo de gestão, com melhoria no processo decisório; implantação de novo modelo de relacionamento com clientes; centralização dos processos de suporte operacional, com racionalização de recursos de infra-estrutura e logística; e reforço da estrutura de 415 agências de pequeno porte.
Para o presidente do BB, Antonio Lima Neto, essas medidas aprimoram o processo decisório nas diversas instâncias, estabelecem novos parâmetros de relacionamento com os clientes, com valorização dos profissionais que estão em contato mais direto com o público. “Além disso, a centralização dos processos de suporte operacional trará ganho importante para o desempenho do Banco, já que haverá a liberação de um contingente maior de funcionários e gerentes para prospecção e realização de negócios”, explica o executivo.
O novo processo decisório fortalece a gestão colegiada e aprimora o fluxo de decisão no banco ao delegar maior responsabilidade e autonomia aos gerentes das agências. Além de aperfeiçoar a gestão, o Banco do Brasil  implementará um modelo de relacionamento para os clientes dos segmentos de pessoa física, agroempresários e de micro e pequenas empresas. Esse novo modelo possibilitará ao BB prestar atendimento mais especializado e oferecer produtos e serviços adequados às expectativas de cada segmento de mercado.
Outra medida relevante será a centralização das operações de suporte – atividades voltadas à logística e ao apoio negocial. No novo modelo, Centros de Suporte Operacional, localizados em cinco capitais, concentram os serviços de suporte das Gerências Regionais de Logística e dos Núcleos de Apoio aos Negócios de Crédito, com redução de custos e racionalização da infra-estrutura existente. As cidades de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Recife e São Paulo centralizarão os serviços anteriormente executados em todo o País.
Para aqueles funcionários que estão trabalhando nas dependências e praças que serão abrangidas pelas medidas, o BB vai oferecer oportunidades de recolocação, de modo a manter a perspectiva de progressão na carreira. Será permitida a possibilidade de permuta entre funcionários, transferências e adesão a programa de afastamento voluntário ou aposentadoria antecipada.
As medidas anunciadas não impactam o resultado recorrente do BB neste ano, mas sensibilizarão o desempenho da instituição a médio e longo prazos. Com esse foco, segundo Antonio, o Banco do Brasil pretende manter a liderança do mercado bancário e permanecer como o principal agente do desenvolvimento social e econômico do País.