Benefícios que geram resultados

0
2



O Hay Group divulgou os resultados do Estudo Hay Group de Benefícios 2007. Segundo a pesquisa, que levou em conta práticas adotadas por 113 empresas nacionais e multinacionais de diferentes setores, alguns benefícios passaram a ser mais valorizados e outros deixaram ter a mesma importância que há dois anos.
O financiamento da educação para dependentes dos funcionários passou de 8% em 2005 para 11%. Contudo, a concessão para o nível de CEO vem diminuindo de 90%, em 2004, para 75% em 2007. Basicamente, os planos cobrem Ensino Médio e Graduação – 50% de prevalência para cada um. Já no caso de educação para funcionários, 68% concedem este benefício e, nestas empresas, a concessão varia de 96% para a Alta Gerência a 82% na Presidência. Os planos incluem desde cursos de idioma, graduação até MBAs.


Entre os participantes, 45% concedem mensalmente o Auxílio Alimentação por meio de um pacote de produtos básicos para alimentação ou vale compras para adquirir produtos alimentares em estabelecimentos credenciados. O crescimento desse auxílio nas empresas que concedem o benefício se deu em todos os níveis hierárquicos, passando de 37% em 2005 para 45% em 2007. No caso dos presidentes e vices, o aumento passou de 24% para 35%.


Apenas 2% oferecem Auxílio Moradia, contra 5% em 2005. Nas empresas que concedem refere-se a pagamento ou reembolso integral/parcial do aluguel da residência. Em relação a 2005, as empresas concediam este benefício também aos níveis de VP/Diretoria Executiva e Diretoria, mas em 2007 apenas ao CEO/Presidente.


A segurança passou a ser um dos principais itens que as empresas nacionais e multinacionais que atuam no Brasil consideram na hora de oferecer os benefícios aos executivos. 44% das companhias possuem uma política de segurança para CEOs, contra 30% em 2004. O item de segurança mais utilizado são carros blindados, variando de 84% para Presidência à 67% para VPs e Diretorias.