BPM deve movimentar US$ 40 mi no Brasil

0
2
Um sistema que abrange o acompanhamento da implementação do plano estratégico da empresa, a orçamentação e comparativo realizado e orçado, custos e performance da empresa como um todo. Essa é a definição adotada pelo SAS, empresa de inteligência analítica de negócios, no segmento de Business Performance Management (BPM). A solução permite tanto o planejamento financeiro quanto operacional e serve de apoio para a estratégia de negócio das organizações. E sua importância estratégica é tão grande que a adoção vem crescendo entre as empresas brasileiras. O SAS estima que, em 2007, esse mercado deve movimentar US$ 40 milhões somente em consultoria, software e serviços de implementação, podendo ter um crescimento de 25% ao ano no País.
Segundo o especialista em pré-venda do SAS, Michael Wootton, os setores que mais devem investir em BPM são indústria (40%), finanças (15%) e varejo (10%). Para ele, a evolução desse mercado é fruto do amadurecimento das metodologias de gerenciamento dos processos de negócio das companhias brasileiras, e é resultado da utilização cada vez maior dos métodos da governança corporativa. “As empresas nacionais estão começando a alinhar os planejamentos estratégicos e financeiros à implementação de soluções tecnológicas, envolvendo análise avançada de informações”, fala. O executivo explica que isso é uma tendência mundial.
Apesar de importante, a solução ainda é pouco conhecida na totalidade. “Existe uma idéia comum de que o BPM se resume ao Balanced Scorecard.O BSC, no entanto, é uma das metodologias e permite o mapeamento e a avaliação dos resultados mensurados por outras técnicas. O BPM é um guarda-chuva e integra múltiplos métodos de negócio que engloba a própria gestão de performance que pode ser feita através do Balanced Scorecard (BSC), Business Intelligence (BI), Planning/Budgeting, Consolidação e o chamado Activity-Based Costing (ABC). Este último custeia todas as atividades corporativas e permite à empresa delinear estratégias a partir do custo real de suas ações”, informa.
Esse desconhecimento resulta na subutilização da solução. Michael conta que normalmente as metodologias do BPM são implementadas de forma isolada, enquanto o ideal seria o desenvolvimento de um projeto que integrasse todas essas técnicas. “O alinhamento das informações das diversas áreas é que resulta em elementos concretos para a tomada da decisão. A partir do momento que uma empresa consegue, por exemplo, unir dados que mostram o custo das suas atividades às informações sobre o orçamento disponível ele consegue montar um plano focado e lucrativo”, diz. O resultado disso é o aumento de receitas e significativas reduções de custos.
De acordo com o especialista, esses projetos não precisam ser implementados de uma vez. O importante é ter uma plataforma única que proporcione um bom fluxo de dados. Outro diferencial fundamental é o uso da estatística aplicada ao negócio. Esse fator é responsável pela capacidade da solução de antecipar tendências de forma precisa e de analisar os dados coletados, proporcionando a melhor decisão.