Brasil avança na informatização da sociedade

0
3



A Intel divulgou alguns dos resultados preliminares de um estudo de âmbito nacional, realizado pela Ipsos a pedido da empresa, sobre as tendências no consumo de PCs nos próximos 12 meses – O Nation Wide Study 2010. Os resultados apontam o mercado nacional bastante aquecido em 2010, com crescente demanda por novas máquinas e tendência a um movimento de individualização do PC, fenômeno que já acontece em alguns mercados mais desenvolvidos.

 

O Brasil avança a passos largos na penetração de PCs nos lares brasileiros: 58% dos domicílios no país já possuem ao menos um computador. A penetração é maior no Sudeste com 66% de penetração. No Rio de Janeiro, 71% dos domicílios possuem ao menos um computador. Goiás e Distrito Federal (65%) e São Paulo (64%) também são estados de grande densidade. As regiões com menor índice de penetração são o Norte (59%) e Nordeste (42%). O Estado que apresentou menor penetração foi Pernambuco, com 36.

 

Não somente aumenta o número de lares equipados com computadores, mas também aumenta o número de computadores dentro de um mesmo lar. Cada vez mais, o computador deixa de ser um item “da família”, que é compartilhado por todos os membros do lar, para tornar-se um item pessoal – que reflete os usos, costumes e personalidade do dono.

 

“O Brasil avança a passos largos na informatização da sociedade, com avanços significativos tanto no número de lares com computadores quanto no modelo de uso dos brasileiros,” comentou Cássio Tietê, diretor de marketing da Intel Brasil. “O brasileiro é apaixonado pelo seu computador – ele estuda, trabalha, compartilha, se relaciona por meio dele. Somos campeões no acesso a Internet. Nesse contexto, é natural que o brasileiro queira um computador que seja efetivamente pessoal, que seja só seu, e reflita sua personalidade, seus maneirismos. Esta tendência, comum nos mercados mais maduros, vai guiar o crescimento do mercado no futuro próximo”.

 

Com o objetivo de apontar tendências para o consumo de PCs e demais equipamentos de acesso à Internet, a pesquisa foi realizada entre agosto e outubro de 2010, entrevistou 2500 pessoas residentes em 16 praças brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A amostragem abrangeu usuários de computadores das classes ABCD, com mais de 16 anos, divididos por estado de acordo com perfis demográficos.