Brasil cai no ranking de competitividade

0
7



O Relatório de Competitividade Global aponta que o Brasil está no 58º lugar, caindo duas posições. Porém, o País se mantém com a terceira colocação dentre os países que compõem os BRIC, atrás da China e Índia. Lançado pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com o Movimento Brasil Competitivo (MBC) e a Fundação Dom Cabral no Brasil, a pesquisa coloca a Suíça como país mais competitivo do mundo.

 

Os Estados Unidos caíram duas colocações (4º) sendo superado pela Suécia (2º) e por Singapura (3º). Instabilidades macroeconômicas que se manifestaram ao longo do tempo enfraqueceram as instituições públicas e privadas dos Estados Unidos, gerando preocupações sobre os mercados financeiros.

 

A República Popular da China (27º) continua liderando o grupo das economias em desenvolvimento, melhorando sua colocação em duas posições e solidificando sua posição entre os 30 países mais competitivos. Os outros três países que compõem os BRIC, Brasil (58º), Índia (51º) e Rússia (63º) permanecem estáveis.

 

Baseado em 12 pilares de competitividade, o The Global Competitiveness Report fornece um retrato explicativo do cenário da competitividade nos países em todos os estágios de desenvolvimento. Os pilares são: instituições, infraestrutura, ambiente macroeconômico, saúde e educação primária, educação superior e treinamento, eficiência do mercado de bens, desenvolvimento do mercado financeiro, prontidão tecnológica, tamanho de mercado, sofisticação empresarial e inovação.

 

O ranking é calculado a partir da Pesquisa de Opinião de Executivos. Este ano, mais de 15 mil empresários colaboraram com a elaboração do documento nas 139 economias estudadas. O estudo, desenhado para captar uma ampla gama de fatores que afetam o clima de negócios numa economia, contempla uma listagem dos principais pontos fortes e oportunidades de melhoria dos países, tornando possível identificar prioridades para as reformas de políticas públicas.