Brasileiro está antenado com o mundo

0
1



O Ibope Mídia, empresa do Grupo Ibope, realizou um estudo sobre o cenário atual das telecomunicações no Brasil. Foram ouvidas 8.000 pessoas acima de 16 anos, em todas as regiões do País, entre novembro e dezembro de 2006. O resultado obtido foi dividido em três categorias de produto: televisão, Internet e telefonia.

 

Na primeira categoria foi verificado que praticamente em todos os domicílios existe ao menos um aparelho de TV, sendo que em mais de um terço deles, há dois ou mais televisores. Embora a antena parabólica seja muito utilizada nas cidades pela classe C e também esteja presente em grandes concentrações nas zonas rurais, a antena interna ainda é a mais utilizada pela população. Já dois terços das residências da classe A possui TV por assinatura, principalmente na região Sudeste e nas capitais do Brasil.

 

Quanto a segunda categoria, mais de 70% das pessoas da classe A acessam Internet em seus domicílios. Independente da classe socioeconômica, mais de um terço das pessoas que acessam de seus domicílios não o fazem de nenhum outro lugar. Dentre os internautas que afirmaram não ter acesso à banda larga, 42% pretendem adquirir o serviço nos próximos seis meses.

 

Por fim, na terceira categoria, a pesquisa mostrou que mais de 80% dos proprietários de telefones fixos realizam ligações interurbanas e um quarto dos domicílios da classe A têm ao menos duas linhas desse tipo de telefone.

 

Já quando se fala em telefonia móvel, cerca de 25% dos usurários de celular trocam de aparelho no mínimo uma vez ao ano. Independente de classe social, um quarto dos domicílios brasileiros têm pelo menos duas linhas de telefone móvel, sendo que o sistema pré-pago é o mais comum entre os jovens. Dentre os recursos disponíveis no aparelho celular, o mais utilizado é o de envio e recebimento de mensagens de texto (SMS).

 

Um dado interessante detectado pelo estudo é que, apesar das operadoras de telefonia móvel sempre ocuparem o topo do ranking de reclamações de consumidor, a maior parte do público pesquisado afirma não querer trocar de operadora. Apenas 10% gostariam de mudar de operadora imediatamente.

 

“Esse estudo mostra que o brasileiro está acompanhando a tendência mundial de ficar cada vez mais antenado com o mundo. Ou seja, de uma forma ou de outra, os diversos meios de comunicação disponíveis no mercado vêm sendo incorporados ao cotidiano do consumidor brasileiro, independente de sua classe social ou região”, afirma Dora Câmara, diretora comercial do Ibope Mídia.