Bunge Alimentos foca no core business

0
9



Com o objetivo de focar os esforços apenas no core business da operação, a Bunge Alimentos adotou o conceito de Centro de Serviços Compartilhados (CSC) para conduzir os 377 processos e as 800 transações realizadas nas áreas financeira, de controladoria, fiscal e de recursos humanos. Esta última opera para atender 5,6 mil funcionários dos 27 sites que compõem o conglomerado da indústria de alimentos. As atividades, que deixaram de ser atendidas por sistemas legados, hoje são controladas pelo ERP (Enterprise Resource Planning) da SAP, que acaba de ser implantado na empresa. O projeto, tanto de implementação da ferramenta quanto o CS, estão a cargo da Sonda Procwork, empresa de TI.


O contrato do CSC tem como meta a melhoria da produtividade, qualificação e especialização dos profissionais, bem como a redução de custos, uma vez que o CSC fará o compartilhamento das atividades operacionais com outras empresas, o que irá gerar o serviço em escala, que criará condições para a redução de custos. Este modelo, implantado no Brasil, servirá de benchmarking para as outras operações globais da indústria.


Segundo o CFO da Bunge, Ivo Dreher, quando a empresa decidiu por este conceito era o momento ideal para iniciar a substituição dos sistemas legados por um ERP, que suportasse o crescimento da empresa. “Daí a escolha pelo SAP, que deve concentrar as melhores práticas de gestão por ser o software mais utilizado em todo o mundo”, resume Dreher.


O próximo passo da Bunge é redesenhar todos os processos da empresa baseando-se no que é oferecido pelo SAP e, em seguida, preparar a parametrização do sistema para a implementação de novas funções. “Os sistemas legados conseguiram atender as demandas da companhia até o momento, porém hoje necessitamos de um sistema de gestão que integre todos os nossos negócios e suporte o crescimento esperado para os próximos anos”, comenta Silvio Heusi, gerente de TI da Bunge.