Cai inadimplência e roubo de cheques em fevereiro

0
1

É o que revela pesquisa da Telecheque relativa às consultas realizadas pelo comércio a sua base de dados. A inadimplência com cheques registrada em todo o Brasil foi de 2,65%. O IBP (Índice de Bons Pagadores) voltou a apresentar melhora no mês de fevereiro. Neste mês, o Índice Telecheque de cheques sustados e roubados registrou uma queda de 11,2% no volume de cheques em relação ao mês anterior (jan: 0,79%; fev: 0,70%).

Vale ressaltar que mesmo informando os percentuais de inadimplência por cheques devolvido, roubados e sustados, a grande maioria dos cheques emitidos no varejo são honrados. O cheque é o meio de pagamento mais utilizado depois do dinheiro, e o consumidor tem aprendido cada vez mais a controlar seu endividamento com este meio de pagamento”, ressalta José Antonio Praxedes, vice-presidente da Telecheque. Do total de cheques emitidos no mês de fev/04, 96,66% foram honrados, apresentando melhora de 0,2% em relação ao mês de janeiro/04 (96,51%). Dos cheques emitidos no Comércio Varejista (a pesquisa abrange 56 setores) em todo o território nacional, os cheques à vista representaram 32,8% (-4,1% em relação a jan/04); pré-datados 67,2% (+2,1% em relação a jan/04).

Em fev/04, o valor do cheque médio transacionado no Comércio Varejista diminuiu em 2,2% em relação à jan/04. Em relação ao mesmo mês no ano anterior, houve um aumento de 6%. “A decisão do Banco Central em manter os juros básicos da economia estabilizado em janeiro e fevereiro desestimulou o setor produtivo, o comércio e o consumidor, que esperavam a baixa dos juros na expectativa de reverter o quadro negativo atual. A estabilidade dos juros reduz os investimentos na produção, diminui crescimento econômico e a geração de empregos, o que deixa o consumidor receoso e conseqüentemente, com medo de perder o emprego. Este medo faz com que o consumidor evite fazer compras além do necessário”, afirma Praxedes.

Os estados que apresentaram os melhores Índices de bons Pagadores foram: Santa Catarina com 98,09%, Goiás com 97,43% e Paraná com 97,21%. Três Estados nordestinos apresentaram os menores Índices de Bons pagadores. Sergipe com 4,11%, Alagoas com 3,41% e Paraíba com 2,95%.g Fev/04.

A pesquisa também registrou queda dos cheques inadimplentes nas principais regiões geoeconômicas brasileiras. No Sudeste, o índice foi de 2,71% do volume de cheques inadimplentes, representando queda de 2,2% em relação a jan/04. No Sul, índice de 1,99%, com queda verificada de 1,8%. No Nordeste, índice de 2,93% e queda de 1,7%. Na região Norte, os cheques inadimplentes somaram 3,83% do volume das emissões, com uma queda de 7,9%. Finalmente, no Centro-Oeste, pesquisa registrou 2,17% de inadimplência, com queda de 21% em relação a janeiro.