Caiu em 18% a inadimplência, diz Serasa

0
13

O Indicador Serasa de Inadimplência – índice que se basea em modelo estatístico de múltiplas variáveis, que contempla todas as modalidades de inadimplência da economia brasileira (registros de cheques devolvidos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeira, empresas do varejo, cartões de crédito e financeiras) – apresentou queda de 18% da inadimplência de pessoa jurídica, de janeiro a julho de 2004, quando comparado com igual período de 2003, que registrou alta de 8,3% em relação aos sete primeiros meses de 2002.
O estudo apontou ainda que houve quedas consecutivas da inadimplência de empresas nos três bimestres do ano, quando comparadas ao mesmo período de 2003. Segundo o Indicador Serasa de Inadimplência, o maior decréscimo foi registrado no terceiro bimestre (maio e junho), -21,2%. O segundo bimestre (março e abril) fechou em -12,2%. Já janeiro e fevereiro apresentaram queda de 16,2%.
Segundo técnicos da Serasa, a diminuição da inadimplência de empresas em todo o país, no primeiro semestre do ano, é resultado do crescimento da economia brasileira, que vem propiciando maior geração de recursos para as empresas pagarem seus compromissos. O maior nível de atividade econômica contribuiu também para o aumento das vendas das empresas, principalmente do setor industrial e agronegócios, que foram favorecidas pela expansão das exportações.
A realização de novos negócios, o melhor controle de stoques, a redução da taxa de juros e a renegociação de preços e prazos com fornecedores permitiram às empresas administrar o orçamento de modo mais equilibrado.
Os técnicos ressaltam que embora as taxas de juros tenham experimentado sucessivas quedas ainda se encontram em patamar elevado. Este fato combinado com a elevação de tarifas públicas e o aumento da carga tributária, por causa da mudança das regras de cálculo, continuam sendo os maiores desafios enfrentados pelas empresas neste ano, pois dificultam o pagamento de dívidas assumidas anteriormente.