Cartão de crédito ganha o público feminino

0
2
Representando 51% da população do País, as mais de 94 milhões de mulheres avançam e já ultrapassam os homens no ranking de possuidores de cartões de crédito. Ao final do primeiro trimestre deste ano já detinham mais da metade dos cartões em circulação no Brasil: 39,8 milhões de unidades ou 50,2% do mercado. O público feminino movimentou R$ 18,8 bilhões no cartão, aumentando a participação também no volume transacionado, que passou de 44,7% nos primeiros três meses de 2006 para 45,0% no mesmo período de 2007.
Para o acumulado do ano, a perspectiva é que o ritmo continue crescente e atinja a participação de 45,9% do total da indústria de cartões de crédito, chegando a R$ 86,4 bilhões. “Com a confirmação dessa estimativa o volume movimentado pelas mulheres terá crescimento de 21% em relação ao ano anterior, desempenho acima do previsto para o mercado total este ano, que deverá apresentar avanço de 20%. Esse ritmo mais acelerado explica o aumento de representatividade”, diz Fernando Chacon, diretor de marketing de cartões do Itaú. Estes dados são do estudo “Cartões de crédito para as mulheres”, realizado pela Itaucard.
O público feminino também apresentou maior apreço pelo parcelamento sem juros, modalidade que compôs 53% de todo o volume movimentado pelas mulheres de janeiro a março deste ano e que representou um montante de R$ 10 bilhões com ticket médio de R$ 200. Já os homens movimentaram 43% de seu volume total em parcelamentos sem juros, com valor médio de compra maior – R$ 253. “É mais uma evidência do consumo consciente pelo público feminino”, salienta Fernando.
Estados – Na distribuição feminina por região, de janeiro a março de 2007, o Sudeste apresentou a maior participação, com volume de R$ 10,2 bilhões (54% do total) e o maior número de cartões de crédito: 20,3 milhões (51% dos cartões femininos). As mulheres no Nordeste movimentaram R$ 4,7 bilhões do total (25%) e detêm 11,9 milhões de plásticos (30%).
Já as do Sul e do Centro Oeste transacionaram R$ 1,3 bilhão (7%) em cada região, com quantidades de plástico de 3 milhões (8%) e 2,2 milhões (5%) respectivamente. No Norte, as mulheres portadoras de cartão transacionaram R$ 1,2 bilhão no período e reúnem 2,3 milhões de plásticos – participação de 6%, tanto no total do volume gasto como no número de cartões.
No que se refere ao valor médio gasto nas compras com o cartão, o ticket médio das mulheres passou de R$ 83,5 no primeiro trimestre de 2006 para R$ 87 no mesmo período em 2007, enquanto a evolução do valor médio do mercado, que inclui homens e mulheres, passou de R$ 88 para R$ 91, considerando os mesmos períodos.
Preferido pelas mulheres – O cartão de crédito é o meio de pagamento mais utilizado por 39% das portadoras, superando até mesmo o dinheiro em espécie, com 37% das menções. Esta preferência feminina pelo cartão difere da apresentada pelos homens, que afirmam utilizar o dinheiro como principal instrumento de pagamento em 46% dos casos, seguido pelo plástico, com 33%.
Se no mundo físico as mulheres já demonstram maior intimidade com o cartão de crédito, no virtual essa preferência também está presente. Em número de pessoas que realizaram compras via Internet, existe um equilíbrio: 18% dos homens e 15% das mulheres já compraram on-line. A diferença fica por conta da utilização do cartão para o pagamento dos produtos, utilizado por 71% dos homens e 81% das mulheres.