Cartão Raia completa 18 anos

0
16


A Droga Raia está comemorando a maioridade do Cartão Raia, base do seu programa de relacionamento que está completando 18 anos. Hoje, o número de clientes cadastrados nos quatro estados em que a rede atua – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná – já supera a marca de quatro milhões. Desse total, cerca de dois milhões são clientes ativos, com registro de compras realizadas no último ano.

“Mesmo copiado por diversas outras redes varejistas, o Cartão Raia possui uma penetração sem precedentes – os clientes cadastrados são responsáveis por mais de 80% do faturamento total da empresa”, informa Cristiana Pipponzi, diretora de Marketing da Droga Raia. “Esse número reflete mais do que um desempenho positivo, simboliza uma relação de confiança e respeito entre a empresa e os clientes”, completa.

O Cartão Raia tem sido também um importante vetor de crescimento da rede. Tanto o gasto médio por consumidor como a freqüência de compras dos clientes cadastrados na Droga Raia são muito superiores aos de clientes não cadastrados. “Nossos clientes retornam à loja em média duas vezes por mês e, no caso dos mais assíduos, sua presença chega a até seis vezes mensais”, afirma Cristiana.

Descontos e facilidades – Lançado em 1987, o Cartão Raia garante aos portadores descontos em todas as compras de medicamentos tarjados, além de facilidades de pagamento e participação em programas de pontuação, promoções específicas e ações filantrópicas.

De acordo com a diretora de Marketing da Droga Raia, o Cartão Raia é um exemplo de programa de fidelidade de sucesso, uma vez que os clientes cadastrados recebem benefícios reais e a empresa conquista a tão almejada preferência entre os consumidores. “Isso é possível porque, além do programa de relacionamento, a Droga Raia oferece excelência no atendimento e diferenciais de serviços que sustentam a escolha de seus clientes”, diz Cristiana. “A gestão de relacionamento com os clientes é uma das grandes conquistas da empresa, que certamente pretendemos preservar”, conclui.