Comércio eletrônico cresce 43% em 2005

0
3


O Web Shoppers, estudo realizado pela e-bit com o apoio da Camara-e.net (Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico), apontou crescimento do comércio eletrônico de 43%, de 2004 para 2005, e espera alcançar R$ 3,9 bilhões em 2006. A pesquisa acompanha a evolução dos bens de consumo vendidos na Internet e o perfil do e-consumidor.

Desde 2001, data em que o estudo começou a ser realizado, o varejo eletrônico cresceu 355%. Para Pedro Guasti, presidente da e-bit, “o comércio eletrônico nacional vem registrando um crescimento significativo e constante ao longo destes cinco anos e a previsão é que continue neste ritmo ainda por alguns anos já que há grande parte da população internauta a ser conquistada por este novo canal de compras. Além disso, há também as classes C e D que devem ser futuros e-consumidores conforme a expansão de programas de inclusão digital”.

A base de e-consumidores de bens de consumo no Brasil está em 4,8 milhões, sendo que os homens, que representavam 61% dos compradores em 2001, passaram a compor 58% da fatia. Além disso, as entregas, que eram de 71% no prazo, passaram a 81% em 2005.

Segundo Manuel Matos, presidente da Camara-e.net, a entidade elegeu 2006 como o ano da Cidadania Digital e focará esforços nesta área. “É importante incentivar o uso da certificação digital, como forma de garantir a identificação inequívoca das partes em uma transação eletrônica, com segurança tecnológica e validade jurídica de todos os atos praticados na Internet”, comenta Manuel.

Para Cid Torquato, diretor executivo da Camara-e.net, em 2006, o crescimento dos negócios eletrônicos será ainda mais significativo. “Este ano marca o recomeço da revolução digital, graças ao radical barateamento e expansão da banda larga, cuja base global aumentará em pelo menos 60% até dezembro. Ela será o grande motor dessa revolução, que continuará a conectar a humanidade em alta velocidade e a definitivamente transportar o mundo da Era Industrial para a Digital”, explica Cid.