Comércio varejista fecha 2008 em alta

0
1



O volume de vendas do comércio varejista fechou 2008 com elevação de 9,1%, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio divulgada hoje (17/02) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento foi possível mesmo com as vendas apresentando queda de 0,3% em dezembro, na comparação com novembro. Este é o terceiro mês consecutivo de queda no mercado varejista. Porém, na comparação com dezembro de 2007, o volume de vendas cresceu 3,9%.

 

Na comparação dezembro 2008/novembro 2008, das oito atividades que compõem o varejo, quatro tiveram variações negativas: -3,7% em Móveis e eletrodomésticos; -3,7% para Outros artigos de uso pessoal e doméstico; -1,4% para Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; -0,8% em Combustíveis e lubrificantes.

 

Outras três atividades apresentaram taxas positivas: 0,6% para Tecidos vestuário e calçados; 1,2% em Livros, jornais, revistas e papelaria; e 11,9% para Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação. Já o setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo não apresentou variação.

 

Números regionais – Por Unidades da Federação, os resultados com ajuste sazonal para o volume de vendas apontam, na comparação mês/mês anterior, 5 (cinco) estados com variações positivas e 22 (vinte e dois) com queda. Os principais acréscimos ocorreram em Santa Catarina (1,5%); Rio Grande do Norte (0,6%); e Rio de Janeiro (0,5%). Já as principais quedas se estabeleceram no Piauí (-8,9%); Amapá (-6,8%); Paraíba (-4,5%); Pernambuco (-4,3%); e Acre (-3,8%).

 

Ainda no corte regional, dezoito das 27 Unidades da Federação obtiveram resultados positivos no volume de vendas na comparação dezembro 2008/dezembro 2007, com as variações de maior magnitude se estabelecendo em Rondônia (11,8%); Roraima (9,0%); São Paulo (6,4%); Ceará (6,4%); e Santa Catarina (4,9%). Os principais resultados negativos ocorreram no Pará (-7,2%); Amazonas (-2,4%) e Maranhão (-2,3%). Quanto à participação na composição da taxa do Comércio varejista, os destaques, pela ordem, foram São Paulo (6,4%); Rio de Janeiro (4,7%); Paraná (4,3%); Santa Catarina (4,9%); e Minas Gerais (2,1%).