Como as marcas se tornam ícones

0
2


Coca-Cola, Volkswagen, McDonald´s, IBM, Harley-Davidson são algumas das marcas-ícones que fazem parte da história do marketing. Mas como essas marcas se tornam importantes? Como elas fixam na cabeça dos consumidores? Qual o segredo do sucesso? Esses e outros pontos são abordados no livro “Como as marcas se tornam ícones”, de Douglas B. Holt, que acaba de ser lançado no Brasil.

O livro oferece a primeira pesquisa sistemática e empírica sobre algumas das mais importantes marcas do último meio século, denominadas marcas-ícones. Douglas analisa os registros históricos de marcas-ícones lendárias com objetivo de descobrir os princípios que explicam o seu sucesso, chamado pelo autor de branding cultural.

O autor mostra por meio de estudos de casos – como os da Snapple, Mountain Dew, Budweiser, ESPN e Corona – que essas marcas são geradas pela ênfase na cultura e não nos produtos. O objetivo é fazer com que o leitor veja as marcas como entidades históricas cujo significado e valor dependem de como o mito da marca responde à determinada tensão na sociedade.

Douglas B. Holt também apresenta novo modelo cultural de branding que revisa os princípios centrais como marketing, inclusive a segmentação, o público-alvo, o posicionamento, o valor e a lealdade da marca. A publicação aponta novos princípios e idéias contraditórias como o fato de que seguir tendências não constrói uma marca-ícone, como rupturas culturais oferecem oportunidades para marcas novas e ameaçam as existentes, entre outras.

Ficha Técnica
Título: Como as marcas se tornam ícones
Autor: Douglas B. Holt
Editora: Meio & Mensagem/Cultrix
Número de páginas: 248
Preço: R$ 37,00