Como será o supermercado do futuro?

0
1
Até o mês de outubro, a Avanade apresenta um centro de experiência, cujo objetivo é mostrar como o “supermercado do futuro” poderá contribuir para tornar a experiência de compra mais inovadora, fácil e rápida, por meio de leitores de código de barras que obtêm automaticamente os dados dos produtos. O projeto funciona em parceria com a GS1, associação internacional sem fins lucrativos que projeta e implementa soluções para aumentar a eficiência e a visibilidade das cadeias de fornecimento global e de toda a indústria. A ferramenta utilizada no espaço de varejo é a Microsoft Dynamics AX, que permite automatizar e aprimorar a experiência de compra dos consumidores.
A empresa também pretende demonstrar, da forma prática, não só como essa tecnologia ajuda o usuário final, mas como também representa uma vantagem para o setor de varejo, já que o código de barras tradicional evoluiu e contém, por exemplo, um número de série, que funciona como o RG do produto. Na prática, isso significa que cada unidade de um determinado item tem sua própria identidade, facilitando as empresas a rastrearem toda a cadeia de produção e fornecimento, em tempo real. Se necessário, é possível interromper o oferecimento de uma carga em particular, caso tenha apresentado algum tipo de problema, por exemplo.
Outra inovação tecnológica é o GS1 Datamatrix, que contém mais informação no mesmo espaço de um código de barras tradicional. Este padrão foi adotado oficialmente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, para o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos, SNCM, e todo varejista de medicamentos deverá estar apto a utilizá-lo até dezembro de 2016.”O processo é fácil e prático: o cliente se aproxima do leitor de etiquetas e a leitura é realizada; se o produto está com a data de vencimento expirada ou pertence a um lote que está em recall, a venda é imediatamente impedida no ponto de venda”, explica Álvaro Correa Junior, líder de ERP, Enterprise Resource Planning, da Avanade Brasil.
Os especialistas da Avanade ainda demonstram como os micro-chips com a tecnologia RFID (Radio-Frequency Identification) funcionam e o que representam para os setores varejista, automotivo, siderúrgico, agrícola, farmacêutico e indústria. Este equipamento se comunica via radiofrequência com um determinado leitor ao atingir seu raio de alcance. Assim, o cliente pode inserir quantos itens quiser no seu carrinho de compras, que ele será capaz de identificar todos eles, sem a necessidade de operadores de caixa. Por meio de um software, as informações coletadas são transmitidas, em tempo real, a um banco de dados, que transmite os dados de forma simultânea a um chão de fábrica e ao departamento de contas a pagar, por exemplo.
As visitas ao espaço de varejo da Avanade no GS1 precisam ser agendadas com os especialistas da empresa. Para mais informações, acesse: www.avanade.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGamification: do conceito à pratica
Próximo artigoLição dos pais