Confiança do paulistano cresce

0
8
Depois de recuar por quatro vezes seguidas, a confiança dos consumidores paulistanos voltou a aumentar em julho, com um crescimento de 2% e 109,5 pontos, como mostra o Índice de Confiança do Consumidor, ICC, da cidade de São Paulo. Na comparação com julho de 2013, no entanto, o indicador seguiu trajetória de queda, -19,9%. Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, FecomercioSP, o índice revela a percepção das pessoas sobre a situação da economia e é usado tanto pelos comerciantes, quanto pela indústria como balizador para novos investimentos, variando de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).
 
Entre junho e julho, apenas os homens diminuíram a confiança, com recuo de 0,8% no indicador, aos 112,7 pontos. Tiveram destaques: mulheres, cuja confiança cresceu 5,2%, atingindo os 106,4 pontos; paulistanos que ganham a partir de dez salários mínimos, com aumento do indicador em 4,5%, chegando aos 105 pontos; e pessoas com 35 anos ou mais, marcando 102,4 pontos, após elevação de confiança de 2,3%.
 
Enquanto o Índice das Condições Econômicas Atuais, ICEA, caiu 1,5%, aos 109,2 pontos, o Índice de Expectativas do Consumidor, IEC, cresceu 4,5%, atingindo os 109,8 pontos. Uma situação que, na análise da Entidade, reflete a realidade atual de consumidores: cada vez menos confiantes com a situação social e econômica do país, mas ligeiramente mais otimista quanto ao futuro. 
 
O ICC é apurado mensalmente pela FecomercioSP, os dados são coletados de aproximadamente 2,1 mil consumidores do município de São Paulo. O objetivo da pesquisa é identificar o sentimento dos consumidores levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura.