Consumidor mais otimista

0
2
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) atingiu, em novembro, o melhor resultado desde abril de 2015, saltando de 73,3 pontos, em outubro, para 80,7. Embora ainda permaneça abaixo do nível de satisfação (100), o indicador, apurado pela Fecomércio-MG, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), ultrapassou a marca de 80 pontos pela primeira vez nesse período. Desempenho que aponta crescimento da confiança dos belo-horizontinos na recuperação econômica do país e uma pretensão às compras nos próximos meses, especialmente em função das festas do final de ano.
Cinco dos sete itens que compõem o ICF apresentaram aumento no período. Os principais destaques foram o índice de emprego atual, que alcançou os 111,5 pontos, contra os 103,4 registrados no levantamento anterior, a perspectiva profissional – passou de 75,1 para 91,8 – e a perspectiva de consumo, com um acréscimo de 13,2 pontos (70,3 para 83,5). “A proximidade das festas de fim de ano é um estímulo para as pessoas irem às compras, assim como o recebimento de recursos extras, como o 13º salário e o adiantamento do PIS/Pasep”, avalia a analista de pesquisa da Federação, Elisa Castro.
Ela reforça que, em 2017, a conjuntura econômica está mais favorável do que em 2016. “A inflação está sob controle, e os juros ficaram mais baixos. Isso propicia uma melhor saúde financeira para as famílias. Além disso, a evolução nos níveis de emprego dá mais segurança e ânimo para os consumidores”, completa. De acordo com o estudo, os componentes nível de consumo (55,7 pontos) e momento para duráveis (47,4) foram os únicos que registraram retração na passagem de outubro para novembro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNova alta
Próximo artigoMeta agressiva para próximos cinco anos