Consumidor quer voltar ao mercado

0
0



Pesquisa realizada pela Associação Comercial de São Paulo revela que 48% dos devedores com registros no Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) procuraram as empresas credoras para renegociar as dívidas. Entre estes, 63,8% conseguiram renegociá-las e retiraram seus registros do cadastro de inadimplentes. Dos 52% que não procuraram as empresas para pagar suas dívidas, 55,1% afirmaram não dispor de recursos, 13,6% não disporem de tempo e 12,1% declararam ter dificuldades no contato com o credor.


Entre os devedores, 18,1% tinham débitos de até R$ 300; 13,9% entre R$ 301 e R$ 500; 22,1% entre R$ 501 e R$ 1.000; e 45,6% possuíam dívidas acima de R$ 1.001. Além disso, mais de 36% dos inadimplentes deviam para apenas uma empresa, 22,7% para duas, 15,6% para três e 9% para quatro empresas. Porém, os números que chamaram a atenção dos analistas foram os 16% de inadimplentes com dívidas em mais de quatro empresas.


“É muito interessante que o consumidor que está devendo procure a empresa para tentar uma negociação. Mas não adianta somente negociar para retirar o registro do SCPC. A dívida tem que caber no orçamento de cada pessoa. As empresas já entendem isso e sabem da importância de trazer esse consumidor de volta ao mercado”, analisa a superintendente de marketing e serviços da ACSP, Roseli Garcia.


Entre os inadimplentes que procuraram seus credores, 52% informaram que poderiam renegociar suas dívidas com parcelas mensais de no máximo R$ 100; 26% entre R$ 101 e R$ 200; e 13% entre R$ 201 e R$ 400. Somente 8,2% dos inadimplentes informaram que poderiam pagar mais de R$ 400 mensais e somente 0,22% estariam dispostos a quitar o débito em uma única vez se as condições fossem mais favoráveis.