Contra a corrente do pensamento dominante

0
2


Enquanto os gurus da governança corporativa defendem a adoção de sofisticados modelos de gestão, ele propõe o retorno à simplicidade. Enquanto as empresas aperfeiçoam os mecanismos de controle para garantir que as pessoas façam “a coisa certa”, ele sugere que os controles sejam substituídos por relacionamentos baseados em confiança. O consultor empresarial espanhol José María Gasalla admite nadar contra a corrente do pensamento dominante nas organizações – e, por isso mesmo, desperta atenção por onde passa.

“Cada vez mais, pedem-me que eu faça palestras sobre confiança. Isso me gratifica e fortalece na idéia de seguir trabalhando em um assunto ao qual me dedico já há quatro anos”, diz. Doutor em Ciências Econômicas e Sociais, professor da escola de negócios ESADE, em Madri, José María é o criador da Direção por Confiança (DPC), modelo de gestão sustentado pelas atitudes, competência, transparência, compromisso, cumprimento, consistência, coerência e cumplicidade. Segundo ele, a DPC não vem para substituir outros modelos de gestão, mas servir-lhes de base.

Observador da vida corporativa há 30 anos, o consultor afirma que a confiança é condição fundamental para o sucesso das empresas num cenário em que a complexidade e a incerteza são crescentes. “Como fenômeno emocional, ela predispõe as pessoas à integração e à cooperação, que são as bases da versatilidade, da interconectividade, da flexibilidade e do dinamismo de que as empresas precisam”.

Mas como estimular as pessoas a confiar mais nas outras quando a desconfiança parece ser necessária para sua autopreservação? Como convencer as organizações a confiar mais nos funcionários, deixando de exercer controles sobre eles? Esse é um questionamento natural nas circunstâncias do competitivo e problemático mundo moderno e para o qual Gasalla tem respostas tão simples quanto lógicas. “No nível individual, teremos de aprender a confiar e inspirar confiança se quisermos nos diferenciar e mesmo subsistir nesse mundo dominando pela desconfiança e a falta de ética”. Já no nível organizacional, a adoção de um modelo de gestão baseado na confiança permite reduzir custos, fomenta a inovação e facilita a gestão do conhecimento, entre outros benefícios.

As idéias do consultor têm despertado crescente interesse na Europa e também no Brasil, onde está lançando, pela Editora Saraiva, o livro “A Nova Gestão de Pessoas”, cujo último capítulo é inteiramente dedicado à Direção por Confiança. Com isso, José María estará no Brasil dos dias 18 a 26 de Março.