Contra o fim da bateria

0
10
Para que as pessoas não passem por problemas de falta de bateria em seus celulares, a Tim lançou o projeto Recarregue-se, que disponibiliza pontos para carregamento da bateria dos aparelhos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, com expansão prevista para Recife ainda este ano. Nessa primeira fase, o serviço está presente em bares, restaurantes, aeroportos e frotas de táxi. Já são mais de 1,5 mil pontos instalados.
“Queremos que os clientes usem o celular para irem ainda mais longe. Para isso, focamos em oferecer um serviço de qualidade e com preços acessíveis, mas, muitas vezes, esbarramos na durabilidade das baterias dos aparelhos. O projeto Recarregue-se quer atender a essa demanda dos consumidores e potencializar ainda mais o uso do celular. Reforça ainda a inovação da nossa empresa e sua preocupação com o cliente. Queremos ampliar os pontos de carregamento e tornar essa iniciativa uma marca registrada da Tim”, explica Lívia Marquez, diretora de advertising e brand management da Tim Brasil.
Em restaurantes e bares, o usuário tem a oportunidade de carregar a bateria dos aparelhos em painéis localizados nas paredes dos estabelecimentos. Nos táxis, há um painel acessível pelo banco de trás do carro enquanto estão no trânsito. Ao todo, mais de 1,3 mil veículos já contam com carregadores da operadora. Já em aeroportos, há com carregadores disponíveis em painéis ou totens. São, ao todo, 10 aeroportos em todo o Brasil: Antônio Carlos Jobim – Galeão e Santos Dumont (RJ), Congonhas e Viracopos (SP), Afonso Pena (PR), Guararapes (PE), Confins (MG), Pinto Martins (CE), Porto Alegre (RS) e Salvador (BA). Para carregar a bateria do celular, a entrada do aparelho tem que ser compatível com Mini USB, iPhone 4 ou iPhone 5. Alguns mobiliários também contam com tomadas comuns, para que usuário possa encaixar seu o próprio carregador portátil.
“Escolhemos locais com grande circulação de pessoas e que proporcionam situações em que ter o celular carregado faz toda a diferença, como táxis e aeroportos. Na fase inicial, São Paulo e Rio de Janeiro concentram o maior número de pontos, mas nossa proposta é aumentar a presença em Curitiba e levar o projeto para Recife ainda este ano, expandindo para novas cidades em 2015”, explica Lívia.
O projeto é fruto de uma parceria com a Altermark e criação da Neogama.