Cortar gastos para “limpar o nome”

0
1


Pesquisa realizada pelo Instituto de Economia Gastão Vidigal, da Associação Comercial de São Paulo, revela que 96% dos entrevistados no balcão de atendimento do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) pretendem quitar os débitos para excluir o nome do cadastro de inadimplentes, sendo que 65% vão cortar gastos e usar recursos do próprio salário para este fim.

O carnê ou cartão de loja foi a modalidade de crédito mais utilizada pelos inadimplentes (38%), o comércio foi o setor mais afetado (51%) e roupas e calçados (21%) os produtos mais comprados que geraram a inclusão no SCPC. O desemprego continua sendo apontado como a principal causa da inadimplência (51%), vindo a seguir “ter sido fiador ou emprestado o nome”, com 15%, e “descontrole de gastos”, com 10%. Apenas 17% dos entrevistados fizeram empréstimos consignados, sendo que para metade deles essa foi a causa da inadimplência.

O presidente da ACSP, Guilherme Afif Domingos, afirma que o governo deveria seguir o exemplo dos consumidores para quitar as dívidas. “A grande maioria das pessoas que estão com o nome no cadastro de inadimplentes respondeu que vai cortar gastos para quitar seus débitos. O governo deveria fazer o mesmo. Tenho certeza que já teríamos uma redução da absurda carga tributária brasileira”, pondera.