Cresce a adoção do modelo ITIL no Brasil

0
9


Pesquisa encomendada pelo itSMF Brasil – capítulo brasileiro do fórum internacional que desenvolve e promove as melhores práticas em TI por meio da disseminação do padrão ITIL – aponta que 58% das empresas que atuam no país já adotaram o modelo ITIL ((Information Technology Infrastructure Library). O estudo, realizado com cerca de 160 CIOs, diretores e gerentes de TI de empresas do país que contam com investimentos significativos em tecnologia, foi conduzido pela MBI, empresa brasileira de pesquisa e análise de dados. O levantamento traz a realidade de órgãos governamentais, grandes indústrias, empresas da área de telecom, bancos e seguradoras.

Os resultados da pesquisa mostram a tendência de crescimento da adoção das melhores práticas de ITSM (gerenciamento de serviços de TI) por parte das empresas brasileiras. Há dois anos, apenas 18% das companhias já trabalhavam com algum tipo de gerenciamento de suas operações de TI. “A ITIL deixou de ser para poucos. Só nos dois últimos anos, 49% das empresas definiram um programa de melhoria de sua infra-estrutura de tecnologia”, comenta Sérgio Rubinato, vice-presidente do itSMF Brasil.

O estudo identificou também as principais motivações que levam as empresas a adotarem um programa de gerenciamento de infra-estrutura de TI. Entre as principais razões apontadas estão o alinhamento de TI com a estratégia global da empresa, a melhora na eficiência dos serviços prestados pela área de tecnologia e a preocupação com o nível de satisfação dos usuários em relação a esses serviços. “Percebe-se que, entre as principais motivações assinaladas pelos CIOs, nenhuma se relaciona com melhorias no aspecto técnico, são todas questões estratégicas e de negócio da companhia”, destaca Roberto Mayer, diretor da MBI.

Foram apontados ainda os principais indicadores afetados positivamente após as melhorias nas operações de TI das empresas: tempo de resposta a incidentes, nível de satisfação dos usuários e alinhamento de TI com os negócios. Esses resultados, segundo os entrevistados, geraram avanços significativos e redução de custos nos processos de TI e contribuíram para a melhoria da imagem da área de tecnologia junto aos executivos da companhia.

Próximos anos – Embora a disseminação das melhores práticas tenha se acentuado nos últimos anos, ainda são poucas as empresas que desenvolvem uma estratégia formal de adoção da ITIL. Segundo o levantamento da MBI, apenas 20% das companhias entrevistadas possuem um projeto formal e 19% usam software desenvolvido especificamente para dar suporte às disciplinas ITIL dentro da empresa. Como conseqüência dessa informalidade, a pesquisa apontou que, em 53% das empresas, a disseminação do conhecimento sobre ITIL junto aos executivos de TI foi considerado lento ou nulo nos últimos doze meses. De acordo com os organizadores do estudo, a lentidão explica-se pelas dificuldades na implantação, como a complexidade do processo, a restrição de recursos e os problemas de adaptação do modelo às necessidade específicas da empresa, citadas com as principais barreiras.

Ainda de acordo com a pesquisa, sem muitas opções de aperfeiçoamento em ITIL dentro da empresa, os profissionais buscam fontes externas de conhecimento para se desenvolver nas disciplinas. O acesso a livros e sites, a participação em seminários e simpósios e os treinamentos externos foram as três formas de disseminação da cultura ITIL com mais menções no estudo. “O fato é que ainda há pouco treinamento interno, as empresas estão se planejando para definir uma estratégia de adoção e preparação dos profissionais”, analisa Sergio Rubinato, vice-presidente do itSMF Brasil.

Esse cenário, no entanto, já tem seus dias contados. Se nos últimos dois anos as empresas se conscientizaram da importância do gerenciamento dos serviços de TI para os negócios, a tendência, para os próximos meses, é que essas companhias assumam projetos desenvolvidos especificamente para a adoção das melhores práticas da ITIL. De acordo com 67% dos CIOs e diretores de tecnologia entrevistados, suas empresas possuem projetos baseados em ITIL já aprovados e com orçamento definido para serem executados nos próximos dois anos. “A grande mudança para o próximo biênio será, sem dúvida, o planejamento na implantação das melhores práticas. Já conscientes de que a ITIL é necessária, as empresas agora estudam qual a melhor maneira de encarar esse desafio formalmente”, comenta Rubinato.